O Câncer de Mama na Dinamarca


Na Dinamarca apenas 30% das mulheres com câncer de mama foram diagnosticados na fase inicial

O Câncer de Mama na Dinamarca

 

Na Dinamarca apenas 30% das mulheres com câncer de mama foram diagnosticados na fase inicial, em comparação com 42-45% nas demais regiões. Isto sugere que baixa sobrevivência global de câncer de mama na Dinamarca - o único país que não tinha totalmente implementado um programa de rastreio antes de 2007 - foi devido as mulheres serem diagnosticadas em um estágio posterior da doença.

 

Geralmente, as mulheres elegíveis para rastreio (tipicamente 50-69 anos de idade) são diagnosticadas numa fase anterior do que as mulheres mais jovens e mais velhas. O Reino Unido também teve a maior proporção de mulheres com pouca informação sobre o seu estágio no momento do diagnóstico.

 

O estudo também constatou que diferenças internacionais de sobrevivência também foram mais amplas para as mulheres mais velhas. A Sobrevivência de três anos foi 4% superior na Suécia (96%) do que no Reino Unido (92%) para mulheres com idades entre 50-69, mas para as mulheres com idade igual ou superior a 70 anos a diferença foi de 12% (Suécia 91% em comparação com 79% no Reino Unido).

 

Estes achados sugerem que as mulheres mais velhas com câncer de mama e mulheres com doença mais avançada podem ser tratadas menos agressivamente no Reino Unido do que nos outros cinco países. A Dr. Sarah Walters, autora do grupo câncer da London School of Hygiene and Tropical Medicine, disse que as razões para a baixa sobrevivência do Reino Unido e na Dinamarca foram diferentes. "A implantação de rastreio nacional de mamografia deverão aumentar a sobrevida global e na Dinamarca”, disse ela.

 

Henrique Torres