Novo teste da malária pode não ser confiável!


A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que, dado o aumento dos custos de tratamento da malária, o tratamento só deve começar quando um diagnóstico concreto for feito.

 
A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que, dado o aumento dos custos de tratamento da malária, o tratamento só deve começar quando um diagnóstico concreto for feito. À luz disto, a OMS começou a implantação de uma abordagem baseada em um teste rápido para melhorar o diagnóstico. No entanto, os cientistas do Instituto de Medicina Tropical de Antuérpia (ITM) dizem que os testes não são confiáveis e tal abordagem não é boa o suficiente.
 
 
Os pesquisadores acreditam que os custos da nova abordagem superam os benefícios em partes do mundo onde a malária é endêmica. Em um estudo separado os pesquisadores do Instituto de Métrica e Avaliação de Saúde da Universidade de Washington, Seattle, EUA, publicou na revista The Lancet que cerca de 1,2 milhões de pessoas morrem de malária a cada ano.
 
 
Para avaliar se os testes da OMS são bons, um estudo foi realizado por uma equipe de pesquisa em Burkina Faso. A equipe descobriu que os exames não conseguiram detectar alguns casos de malária, especialmente entre as crianças. Eles também descobriram que 75 por cento dos pacientes ainda estavam sendo tratados para a malária, apesar de terem um resultado negativo. Isto ocorre principalmente porque em áreas onde os índices de malária são altos as pessoas que sofrem apenas de febres muitas vezes são tratadas para malária.
 
 
Além disso, houve um número significativo de testes falso-positivos. Os pesquisadores disseram que a abordagem baseada em teste desenvolvido pela OMS é simplesmente inadequada para áreas onde a malária é endêmica. Eles disseram que os testes não são "confiáveis" e "muito caro para testar todos". Considerando que a malária é raramente fatal entre adultos, deve-se concentrar mais o tratamento para crianças nessas áreas em função da febre, acrescentaram.
 
 
Os autores disseram: "Durante a estação chuvosa, quando a malária é mais prevalente, testes rápidos pode ser usados em adultos. Neste caso, com base em considerações de custo-benefício, um tratamento à base de febre com uma combinação barata, mas menos eficaz dos medicamentos é uma alternativa". O custo de um teste rápido é de € 0,70 e custos de terapia 2 € por adulto e € 1 por criança.
 
 
Para as crianças, a malária pode rapidamente tornar-se uma ameaça à vida, por isso é importante o diagnóstico e o tratamento começar o mais cedo possível. Hoje os medicamentos para o tratamento da malária são muito mais caros do que os medicamentos mais antigos. Um teste rápido, mas de confiança, poderia ajudar a resolver o problema.
 
 
Henrique Torres