Novo medicamento para tratar a hepatite C


A possibilidade de cura aumenta com tratamento recém aprovado pela ANVISA

Um novo medicamento vem em auxílio das pessoas com hepatite C. Trata-se do boceprevir, do laboratório MSD (Merck Sharp & Dohme), recém-aprovado pela ANVISA, e que age no organismo impedindo a replicação do vírus HCV, responsável por causar a doença.

Especialistas advertem, no entanto, que o medicamento só funciona se combinado ao peginterferon e a ribavirina, tratamento convencional para tratar a hepatite C. A boa nova é que o novo medicamento aumenta em até três vezes as chances de cura do paciente portador do genótipo 1 do HCV, mesmo para aqueles que nunca fizeram tratamento ou que não responderam bem aos medicamentos convencionais.

É importante saber que existem diversos tipos de hepatites, doença que se caracteriza pela inflamação no fígado. A hepatite viral tipo C, como tantas outras doenças, começa de maneira silenciosa no organismo, sem dar sintomas. O que poderia ser uma simples inflamação no fígado, se não tratada, acaba evoluindo para uma fibrose, depois para uma cirrose e, com o tempo, para um possível câncer de fígado.   

Não existem “tratamentos alternativos” para a hepatite C que tenham sido comprovados cientificamente. Inclusive, o uso indiscriminado de algumas ervas medicinais, sem acompanhamento médico, também podem provocar a hepatite. O uso de certos medicamentos e do álcool também podem levar a uma inflamação no fígado.

Ao contrário das hepatites A e B, que já dispõem de uma vacina, ainda não existe imanização contra a hepatite C. Por isso, a precaução é essencial. Nunca compartilhe instrumentos perfurocortantes, ou seja, alicates de unha, aparelhos de barbear, seringas ou tesouras, pois o vírus da hepatite C é transmitido pelo contato com o sangue de uma pessoa contaminada ou fluidos corporais, como o sêmen. Mais um motivo para usar  preservativos na relação sexual.

Por: AgComunicado