Não há certezas sobre as causas da púrpura alérgica


Dores nas articulações e manchas avermelhadas no corpo são os principais sintomas. Saiba mais

Púrpura de Henoch-Schönlein (PHS), também denominada púrpura alérgica, é uma inflamação rara dos vasos sanguíneos (vasculite) da pele, articulações, sistema gastrointestinal e renal. Causada por uma reação autoimune, sua principal característica é o surgimento de pintas vermelhas no corpo. Geralmente, os sintomas e a ocorrência da púrpura podem incidir entre o primeiro ano de idade até os 19 anos. Ocorre com mais frequência em crianças e adolescentes, porém também acomete os adultos.

Alguns fatores desencadeantes já foram levantados porém não há certezas: infecções de vias aéreas superiores (gripes, resfriados e amigdalite), medicamentos, vacinas, alimentos, picadas de inseto e exposição ao frio. O diagnóstico é basicamente clínico, seguido avaliação dos sintomas e realização de pequenas análises táteis. As manchas avermelhadas na pele não desaparecem com a pressão digital (púrpura palpável) e podem ganhar aspecto elevado ao nível da pele, como uma pequena saliência. Os locais do corpo de maior incidência são as pernas, coxas, pés e nádegas. Pode ocorrer também na face, couro cabeludo, braços e tronco.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é frequente o comprometimento gastrointestinal e dos rins, podendo chegar a 85% e 50% dos casos, respectivamente. Os pacientes podem apresentar dores abdominais, coceiras, náuseas, vômitos, alterações evidentes na urina e nas fezes. É comum a inflamação de articulações.

Sendo diagnosticada a PHS, o tratamento deve seguir a particularidade de cada paciente e ser conduzido, preferencialmente, por um reumatologista ou nefrologista pediátrico. A doença pode tanto aparecer de súbito e desaparecer em breve período de tempo como pode surgir gradualmente e  permanecer por mais tempo. A maior parte dos pacientes recupera-se dentro de um mês.

Em todo caso, o monitoramento médico do caso é fundamental. 

Por: AgComunicado