Mudança nos Diagnósticos e Termos Associados ao Autismo


Veja como o Autismo passou a ser definido!

Mudança nos Diagnósticos e Termos Associados ao Autismo
 
 
A Associação Psiquiátrica Americana atualmente realizou a revisão de seu manual de diagnóstico – a "Bíblia" para os médicos - que lista cada transtorno psiquiátrico e seus sintomas. Sua nova versão propõe alterações que a Sociedade de Autismo Nacional do Reino Unido diz que poderia afetar a maneira que o diagnostico será feito nas pessoas no espectro do autismo.
 
 
Em vez de usar os termos atuais de transtorno autista, transtorno de Asperger, transtorno desintegrativo da infância e PDD-NOS (Transtorno invasivo do desenvolvimento sem outra especificação), as pessoas vão ter um diagnóstico guarda-chuva de "transtorno do espectro do autismo". E suas deficiências serão reduzidas para duas grandes áreas - comunicação/interação social e padrões restritos, repetitivos de comportamento, interesses ou atividades. A maioria dos diagnósticos no Reino Unido é baseado sobre a classificação internacional de doenças (CID), publicado pela Organização Mundial de Saúde, que está para revisão em 2015. De acordo com a sociedade nacional de autismo, mais do que um em cada 100 pessoas, e mais de 500.000 pessoas ao todo, no Reino Unido, têm autismo. Cerca de um quinto, um estimado 106.000, são crianças em idade escolar. Para o tratamento somente o medicamento risperidona foi aprovado para tratar a irritabilidade e a agressividade do autismo.
 
 
O Dr. Judith Gould, diretor da sociedade nacional de autismo de Lorna Wing, um centro para autismo, disse: "o autismo é uma deficiência ao longo da vida que afeta a maneira que as pessoas se comunicam e interagem com os outros. Este estudo olha para uma pequena amostra de indivíduos com autismo de alto funcionamento e incitaria as pessoas a não saltar para conclusões sobre a natureza e a complexidade do autismo, como também a sua longevidade. Com terapia intensiva e suporte, é possível que um pequeno subgrupo de individúos com autismo de alto funcionamento aprenda as estratégias que 'mascarariam' sua condição subjacente e os comportamentos de enfrentamento”, diz ele.
 
 
Ele disse que obter um diagnóstico poderia ser um marco fundamental para crianças com autismo e suas famílias, muitas vezes ajudando os pais a entender melhor seus filhos e ajudá-los a apoiar seus filhos em atingir seu pleno potencial.
 
 
Henrique Torres