Mortes por doença cardíaca continuam a cair em toda a Europa!


As taxas de mortalidade por doença arterial coronariana na União Europeia diminuíram em mais da metade em muitos países desde a década de mil novecentos e oitenta!

 
As taxas de mortalidade por doença arterial coronariana na União Europeia diminuíram em mais da metade em muitos países desde a década de mil novecentos e oitenta, de acordo com uma nova pesquisa realizada pela British Heart Foundation (BHF). A pesquisa, publicada no European Heart Journal, descobriu que quase todos os países da União Europeia têm experimentado uma grande e significativa redução nas taxas de mortalidade por doença coronária ao longo das últimas três décadas, em homens e mulheres, quando todas as idades foram observadas em conjunto.
 
 
A doença coronariana é a causa número um de morte no Reino Unido. Doença coronária é um estreitamento dos vasos sanguíneos que fornecem oxigénio e sangue para o coração. É geralmente causada pelo acúmulo de placas nas paredes das artérias (aterosclerose). Ela provoca dor no peito, provoca falta de ar, provoca ataque cardíaco e provoca outros sintomas. O medicamento Balcor está indicado no tratamento da insuficiência coronária, em todas as formas de angina do peito. 
 
 
No ano de dois mil e dez as taxas de mortes por doenças do coração diminuíram nos Estados Unidos porque os americanos estavam fumando menos, observando seus níveis de colesterol e controlando a pressão arterial elevada. Especialistas dizem que a queda deveu-se também às terapias para doenças cardíacas, mas a prevenção é mais importante no desenvolvimento de doenças do coração. No ano de dois mil e nove um estudo no Canadian Medical Association Journal informou que a taxa de mortes e internações hospitalares por doenças cardíacas caiu trinta por cento em relação à década anterior, no Canadá. 
 
 
Os fatores de risco para doença coronária incluem: a genética, o fumo, a hipertensão arterial não controlada, o colesterol alto, o diabetes, a obesidade e o estresse emocional ou estresse mental. Após estas taxas, reformas rápidas e de longo alcance precisam ser feitas para o sistema de saúde da Europa, agora políticos e médicos precisam não perder de vista o fato de que a doença coronariana ainda é o único maior assassino do Reino Unido, apesar das taxas terem diminuído. “Devemos continuar nossos esforços para garantir que ninguém morra prematuramente de doença cardíaca", disseram os pesquisadores.
 
Henrique Torres