Mitos da alimentação


Consumir carboidrato à noite engorda e causa insônia? Pular refeições ajuda a emagrecer mais depressa? Confira

Quando se trata da alimentação, algumas pessoas ouvem falar e passam a acreditar em alguns mitos,  e findam prejudicando a própria saúde. Há quem acredite, por exemplo, que ingerir carboidratos na última refeição do dia engorda e causa insônia. Porém, a pessoa só engorda se ingerir mais calorias ao longo dia dia do que seu corpo consegue gastar, e o que causa a insônia é a quantidade de alimentos ingeridos antes de dormir, não os tipos de nutrientes.

Alimentos ricos em carboidratos ajudam na produção de serotonina, hormônio que reduz a ansiedade e combate a insônia, e também da melatonina, que ajuda a ter noites de sono tranquilas. Os processos corporais como um todo (processo digestivo, batimentos cardíacos, etc) , funcionam de forma mais lenta à noite e, por isso, excessos antes de ir para a cama causam desconfortos e comprometem a qualidade do sono. O ideal é jantar cerca de três ou quatro horas antes de dormir.

Pular refeições para emagrecer é outro mito comum – e perigoso. O  corpo “entende” o jejum prolongado como uma situação de risco, e assim, começa a economizar energia. Por isso, fazer jejum por longos períodos desacelera o metabolismo, faz perder massa magra e, com isso, prejudica a composição corporal.

Há quem acredite que ingerir água morna em jejum queima gorduras. No entanto, está cientificamente comprovado que a perda de peso e diminuição da porcentagem de gordura corporal dependem da quantidade e qualidade dos alimentos consumidos. Ingerir água morna em jejum não altera o gasto calórico.

Ao fazer dieta, tem quem evite totalmente a tradicional combinação brasileira de arroz com feijão, por achar que ela sabota o regime. Ledo engano. É consenso entre médicos e nutricionistas que essa combinação é importante, sim, para uma dieta saudável, uma vez que seus nutrientes se completam. Ela pode figurar no dia a dia de um regime para emagrecer, desde que as porções sejam controladas.

Por: AgComunicado