Micoses estão entre as principais doenças do verão


Tratamento varia conforme o tipo e região do corpo afetada

As primeiras ondas de calor trazem um inimigo que adora esta estação do ano: as micoses. Isso porque é nesta época que estamos a maior parte do tempo em contato com água, seja através da transpiração ou no chuveiro, piscina ou praia. Assim, a pele permanece úmida por muito mais tempo, e essa umidade facilita a rápida proliferação dos fungos e leveduras que causam as micoses.

Nenhuma parte do corpo é discriminada: das mãos à virilha, unhas, axilas e entre os dedos das mãos e dos pés. As regiões preferidas são aquelas com dobras. Tudo começa com um pequena lesão, avermelhada ou branca que descama a pele, provocando coceira. Não apenas o sol é um grande facilitador desta doença, mas também o estresse.

Nos pés, o tipo de micose mais comum é o pé-de-atleta ou frieira, que se desenvolve entre os dedos. Se não for tratada, acaba facilitando a entrada de outros germes no local afetado e leva à formação de erisipelas, provocando ainda mau cheiro. Apresenta-se na forma de manchas avermelhadas, de superfície escamosa e com bordas bem nítidas.

Nas crianças, é muito comum o surgimento da tinha no couro cabeludo. Tem o formato de uma placa com crostas, provocando muita coceira.

Nas unhas, é a onicomicose a forma mais comum desta doença, e se inicia pela ponta das unhas, deixando-as amareladas. Entre os sintomas, dor e incômodo, e, aos poucos, espessamento da unha.

Na parte superior dos braços, tronco, pescoço e rosto desenvolve-se a pitiríase versicolor, pequenina e arredondada, parecendo um confete.  Como o próprio nome diz, sua cor varia entre o branco, rosa e castanho. Aparecem tanto agrupadas como isoladas e provocam coceira. Pessoas com a pele oleosa tem maior tendência a manifestar esta forma de micose, por isso, está muito presente em adolescentes.

Entre as formas importantes de prevenção estão:

- não compartilhar toalhas ou roupas com outras pessoas, pois as micoses são altamente contagiosas;
- secar bem o corpo após o banho, ou se estiver no mar ou piscina, não permaneça durante muito tempo com a roupa de banho molhada;
- nas crianças, seque bem as dobrinhas;
- não se automedique.

É comum confundir as micoses com outras doenças. Por isso, ao primeiro sinal, procure atendimento médico. O tratamento inclui o uso de medicamentos locais ou orais. Cada tipo de micose tem um tratamento específico e que deve ser seguido à risca, pois é grande a chance de voltar a se manifestar.

Por: AgComunicado