Meu filho não quer comer


O que os pais podem fazer para tratar este problema?

O que fazer quando a criança não quer comer? Isso acontece com frequência com a maioria dos pais, basta levar a colher em direção à boca do pequeno e... uma careta, então surge aquela preocupação por parte dos pais: como fazer meu filho comer um alimento que demonstra odiar?

É importante lembrar que adultos também fazem isso, dizem não gostar de um alimento, mas sequer provaram algum dia. As crianças necessitam muitas vezes de tempo para aceitar determinado alimento.

Quais fatores estão correlacionado com a recusa alimentar?
Crianças comem pouco, por isso não adianta exagerar na quantidade de comida, forçar a criança a comer mais do que o organismo dela necessita pode causar repugnância com frequência nos momentos alimentares. Apresentar o alimento da melhor maneira possível é importante e se a criança for determinada em não aceitar algum alimento, isso não deve frustrar as esperanças dos pais, por exemplo, havia pedacinhos de cenoura em meio à papinha do bebê e ele não quis comer justamente por causa dos pedacinhos, então da próxima vez, amasse e misture bem a cenoura e deixe outros pedacinhos de outros legumes para que ele vá se acostumando aos poucos, o paladar dele pode até sentir que há algo que “ele não goste”, mas devagar ele será estimulado a ingerir o alimento sem repugnância.

Estabeleça os horários para a alimentação e prepare o ambiente para este momento. Sentar com a criança no chão, em frente à televisão, com barulho, desordem, não a ajudará a respeitar este momento e as chances de recusa alimentar aumentam.

Varie nos alimentos utilizados. Apresente opções coloridas, que chamem a atenção da criança. Pensar no pratinho bonito colorido, na colher decorada pode estimular a criança a desejar o alimento. 

Não faça chantagens com o bebê, o que isso quer dizer? Não diga: Se eu fizer barulho de trenzinho você come? Olha o aviãozinho... Ou... Vou comer um pouquinho e você come... A criança precisa entender desde muito pequena que a alimentação é uma necessidade e um hábito, não é algo que ela decide não querer, ela precisa se alimentar.

Apresente variedade nas preparações de alimentos, apresente versões assadas, cozinhas, “in natura”, em forma de sucos, sopas, raspinhas de frutas, ou papinhas de frutas cozidas etc.

A criatividade pode ser amplamente explorada, invista em frutas, verduras e legumes de cores vibrantes como beterraba, cenoura, verduras de folhas verde-escuras, mamão, morango, melancia, kiwi etc.  Decorar os pratinhos ajuda muito a criança a desejar experimentar o alimento. 

Utilizar exemplos próximos do Universo dos pequenos é fundamental, por exemplo, se a criança gosta de um super-herói, dizer: Será que para ter esses poderes todos ele não se alimenta? Explicar sobre o que a alimentação traz de benefícios: Sabia que se alimentar bem ajuda a aumentar o tamanho e dá mais força? Mas cuidado! Não transforme essas pequenas narrativas em chantagens, são apenas ilustrações que podem auxiliar no processo de aceitação da criança.

Lembre-se de que pequenas mudanças de hábito no tratamento com a criança poderão ser de grande valia para tratar o problema.

 

Daiana Barasa