Medula Óssea: doe você também!


Saiba mais sobre este gesto solidário.

O transplante de medula óssea é um tratamento oferecido para combater certas enfermidades  benignas ou malignas que atingem as células sanguíneas, como é o caso da leucemia e dos linfomas (tipos de câncer) e da anemia falciforme.
 
A medula óssea é constituída por um tecido líquido e gelatinoso presente no interior dos ossos, onde são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas.
 
A doação da medula depende da total compatibilidade entre o doador e o receptor. Parentes próximos, irmãos ou um dos pais são priorizados nos testes, mas quando não há esta possibilidade a solução para o transplante é procurar um doador voluntário compatível com os conjuntos de genes do receptor, caso contrário a medula óssea será rejeitada pelo organismo.
 
A análise de compatibilidade é realizada através de testes laboratoriais específicos com amostras de sangue do doador e do receptor. Com o resultado positivo, a doação é iniciada em um centro cirúrgico e tem duração de aproximadamente duas horas. É necessária anestesia peridural ou geral para que sejam feitas múltiplas punções, com agulhas; é retirado cerca de 15% do volume da medula do doador. Importante ressaltar que esta quantidade não compromete de forma alguma a saúde do voluntário.
 
A boa evolução do transplante para o paciente, além de encontrar o doador ideal, depende do estágio da doença, das condições nutricionais e clínicas, entre outros fatores. Já o doador pode sentir certo desconforto localizado que pode ser aliviado com remédios analgésicos. 
 
As condições básicas para doação de medula óssea são:
 
• Ter entre 18 e 55 anos de idade;
• Estar em boas condições de saúde;
• Não apresentar doenças infecciosas ou incapacitantes;
 
Toda forma de doação é um gesto de solidariedade e amor ao próximo. A vida de muitas pessoas dependem exclusivamente dessa boa ação voluntária.
 
Por: AgComunicado