Médicos estudam novo medicamento para combater câncer de pulmão


O remédio Crizotinibe pode ser a nova promessa da oncologia

Mundialmente, a taxa de mortalidade causada por câncer deve continuar aumentando e, em 2030, é provável que alcance 12 milhões, segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Anualmente, médicos oncologistas reúnem-se na ASCO (American Society of Clinical Oncology) – o maior congresso de médicos especialistas em câncer -  para debater os avanços e estudos sobre o câncer. Na edição deste ano, em abril, um dos assuntos discutidos foi o uso do medicamento Crizotinibe, que ainda está em estudo e promete ser uma nova arma contra um tipo raro de tumor no pulmão, também conhecido como câncer de pulmão de células não pequenas, ou NSCLC. Há nesse tipo, uma alteração genética específica chamada EML4-ALK e segundo os estudos, o Crizotinibe pode combater esta evolução do tumor.

Os estudos mostraram que a ingestão de doses diárias do medicamento pode reduzir o tamanho do tumor ou estabilizá-lo. Mesmo os resultados se mostrando bastante eficazes, os cientistas estão desenvolvendo estudos adicionais para confirmar essa atuação nos tratamentos.

O Crizotinibe foi usado em um grupo de voluntários que apresentavam esse tipo de câncer e, o medicamento bloqueou a proteína ALK, muito importante para o controle do crescimento celular e controlou o crescimento das células tumorais.

Os médicos usaram um exemplo de navio de guerra para descrever o câncer. “Se bombardeado, como acontece com a quimioterapia, ele pode ser afetado, mas bons marinheiros poderão consertar o casco e fazer com que o navio flutue. Essa terapia funciona como uma bomba de gás venenosa, que aniquila os marinheiros e depois, a quimioterapia bombardeia o navio que, sem a possibilidade de reconstrução, afundará”.

Os oncologistas se mostraram muito otimistas e entusiasmados em relação ao novo medicamento e alguns fabricantes de medicamentos também estão pesquisando o uso e os efeitos da Crizotinibe em outros tumores.

Por: AgComunicado