Medicamentos biológicos mais acessíveis no país


Braço de genéricos do grupo suíço farmacêutico Novartis está entrando no segmento de medicamentos biológicos

A Sandoz, a indústria de medicamentos genéricos da farmacêutica Novartis, está entrando no setor  de medicamentos biológicos  para aumentar sua atuação no país.

Complexos, esses medicamentos derivam de materiais vivos como plantas e animais ou células modificadas geneticamente. Como fabricante de genéricos, a empresa está focando na fabricação de drogas a partir dos remédios biológicos de referência que, por terem custos menores, podem ter mercado nos países emergentes.

Seguindo esta estratégia, a empresa vai lançar no país o Omnitrope, um hormônio de crescimento injetável e primeiro produto deste segmento. O medicamento tem a somatropina como princípio ativo e foi desenvolvido a partir do medicamento referência Genetropin, da farmacêutica Pfizer. Pelos cálculos da empresa, o mercado de medicamentos biológicos produzidos a partir dos de referência tem um potencial de US$ 30 milhões no país, enquanto o consumo de hormônio de crescimento é estimado em US$ 60 milhões.

Para lançar o Omnitrope no Brasil, a organização teve de passar pela aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com a apresentação dos testes de bioequivalência com o medicamento da Pfizer. Em dezembro, a Anvisa abriu este mercado no Brasil por meio da divulgação das normas para o registro dos produtos biológicos. O órgão estabeleceu os requisitos mínimos de qualidade, eficácia e segurança para os produtos.

O investimento da companhia acontece em um momento em que ela conta com aproximadamente 3% do mercado nacional de genéricos, e com mais de 100 produtos. A empresa registrou faturamento de R$ 350 milhões em 2010, de acordo com informações da IMS Health. No mundo inteiro, a Sandoz teve vendas de US$ 8,5 bilhões no ano passado, o que corresponde a um aumento de 15% com relação a 2009.

Fonte:     Valor Econômico