Medicamento demonstra resultados promissores no combate à osteoporose


Estudo comprovou eficácia do ranelato de estrôncio no tratamento da doença

 

Levantamento realizado em Valência, na Espanha traz uma boa notícia para pacientes com osteoporose. O estudo avaliou 268 mulheres e comprovou a eficácia do ranelato de estrôncio no tratamento da doença em mulheres no período pós-menopausa. 

 
A doença atinge hoje aproximadamente 10 milhões de brasileiros e é caracterizada pelo aumento da reabsorção óssea causada pela diminuição da produção de estrogênio, no caso das mulheres, e de testosterona, no caso dos homens, fazendo com que a formação óssea natural não dê conta da reposição desses ossos. 
 
O resultado do estudo mostra que, com o ranelato de estrôncio, é possível atacar a osteoporose em duas frentes simultaneamente, inibindo a reabsorção e estimulando a formação óssea. Até há pouco tempo existiam apenas dois tipos de medicamentos, os anti-reabsortivos e os formativos, que desenvolviam uma função de cada vez, mas agora foi comprovado que o ranelato de estrôncio desenvolve uma atividade mista. 
 
Estudo – Apesar de o ranelato de estrôncio ser comercializado no Brasil desde 2006, até agora só existiam estudos que apontavam para este resultado, sem uma comprovação efetiva.  
 
Para chegar ao resultado, as pacientes analisadas foram divididas em dois grupos e cada grupo foi submetido a um tipo de droga. Os medicamentos usados foram o bisfosfato de alendronato, que até agora é o mais utilizado, e o ranelato de estrôncio. Para avaliar o resultado dos tratamentos utilizados nos grupos, o estudo ainda contou com uma metodologia inédita em pesquisas de comparação de medicamentos. O método usado para análise das pacientes foi a biópsia óssea,  um procedimento confiável porém complexo e invasivo e que, por isso, teve que ser autorizado mediante a comprovação da importância do estudo às organizações médicas.

 

Autor:  Agência Comunicado

Fonte:  O Estado de S. Paulo