Maconha (Cannabis) para a cura do Mal de Alzheimer?


Acredita-se que a droga pode impedir inflamação celular na região cerebral

Sempre surge uma nova descoberta em relação às propriedades presentes na maconha (cannabis).

O artigo publicado pela Forbes Brasil, revela que estudo realizado em San Diego, Califórnia, mostrou que um dos componentes da maconha, conhecido como tetraidrocanabinol, poderia prevenir células contra o Mal de Alzheimer.

Acredita-se que o acúmulo de uma proteína camada amilóide é a causa da doença, que gera inflamação celular na região cerebral, que resulta em perda de memória.

O coordenador deste estudo, professor David Schubert, explicou que o tetraidrocanabinol é uma substância semelhante ao neurotransmissor endocanabinóide, que atua transportando informações entre os neurônios e impedindo o acúmulo da proteína amilóide.

De acordo com artigo publicado pelo Livescience, a Cannabis é uma planta saudável e quando cultivada para a indústria é chamada de maconha industrial ou de cânhamo, que possui concentrações muito baixas de tetraidrocanabinol.

O artigo explica que na história americana, o extrato de cannabis era uma droga medicinal popular nos anos 1800, mas na década de 1900 começou a ser vista com maus olhos, isso porque por volta de 1920, imigrantes mexicanos por meio de sua cultura, utilizavam a cannabis para fumo, e assim, começaram a associar a maconha ao prazer recreativo, apenas. Por volta de 1930, a droga que antes era enxergada apenas como importante recurso medicinal, foi proibida em 24 estados americanos.

Estudos científicos têm sido realizados a cada ano, novas descobertas surgem, assim como as controvérsias não cessam. Entre benefícios e malefícios, como todas as drogas farmacológicas possuem, o que de fato se sobressai em relação à Cannabis? 

 

Fontes

Componente ativo da maconha pode prevenir Alzheimer, diz estudo.  Forbes Brasil.
Marijuana: Facts about Cannabis (Maconha: Fatos sobre Cannabis). Livescience.

Daiana Barasa