A importância de ler tabelas nutricionais


Um hábito comum entre pessoas que se preocupam com a alimentação adequada

 
 
Um hábito comum entre pessoas que se preocupam com a alimentação adequada
 
Diversos restaurantes e redes de fast food, estão colocando informações nutricionais nos cardápios, para auxiliar quem segue uma vida saudável. No entanto, são poucas as pessoas que se interessam por essas informações, sugere um estudo realizado num instituto de pesquisa em Georgia, nos Estados Unidos.
 
A equipe de estudiosos avaliou os hábitos de 4.360 pessoas nos restaurantes. Incluindo questionários e leitura das informações nutricionais dos cardápios.  Ao final das pesquisas, o grupo descobriu que mais da metade dos indivíduos analisados afirmaram ter o hábito de realizar refeições em fast food e restaurantes, pelo menos uma vez por semana. Cerca de 10% mencionaram ir três ou mais vezes por semana e outra parte de 10% de indivíduos, relataram não ter o hábito de frequentar restaurantes. 
 
O fator que mais chamou atenção dos pesquisadores, é que os indivíduos que se preocupavam com as informações das tabelas nutricionais, consequentemente optavam por pratos mais saudáveis. 
 
A pesquisa também revelou que os indivíduos que frequentavam os restaurantes e fast food por mais de três vezes na semana, eram menos propensos a analisar as tabelas nutricionais e apresentavam tendência a obesidade. 
 
Os responsáveis pelo estudo, afirmaram que as tabelas nutricionais só tendem a beneficiar os consumidores, basta observar quais são os pratos mais calóricos e optar pelos mais saudáveis. Muitas pessoas não dão a devida atenção aos níveis de gordura trans, carboidratos, proteínas e até mesmo ao colesterol. 
 
Portanto, procure sempre ler os rótulos dos alimentos e analisar as tabelas nutricionais dos cardápios, dessa forma, você pode preservar sua saúde e afastar diversos riscos. Pois seguir uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos regulares, é a chave para a longevidade e qualidade de vida. 
 
Conheça algumas siglas utilizadas nas tabelas nutricionais:
 
RDA: Ingestão diária recomendada, válida para 97 a 98% da população. O estudo é feito a partir da média dos resultados obtidos através de pesquisas com pessoas; 
 
EAR: Requerimento médio estimado: é um valor diário de um nutriente, do qual atende às necessidades de 50% da população. Os resultados também são obtidos através de pesquisas elaboradas com grupos de pessoas;
 
AI: Ingestão adequada é o valor de ingestão dietética diária de um nutriente. É utilizado para estabelecer quantidades de nutrientes que permitem reduzir o aparecimento de doenças crônicas.
 
UL: É o nível máximo de ingestão diária que indivíduo deve digerir, sem trazer nenhum risco para a saúde de praticamente todos os indivíduos da população. A avaliação da UL é feita através de alimentos fonte, fortificados, suplementos e água. O estabelecimento de UL veio atender principalmente as queixas em relação ao uso inadequado de suplementos nutricionais, em que o valor não deve ser utilizado como base.
 
AMDR: Se o indivíduo consumir mais do AMDR, existe a possibilidade de aumentar o aparecimento de doenças crônicas, entretanto, se consumir menos pode ocasionar em ingestão suficiente de vitaminas importantes proteína e gordura. O AMDR pode ser o valor máximo ou mínimo necessário para o aproveitamento do nutriente.