Jovens com colesterol alto correm o risco de sofrer infartos na vida adulta


Um em cada cinco jovens, apresenta altos níveis de colesterol na sociedade brasileira.

 
Um levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) divulgou que um em cada cinco jovens brasileiros, está com altos níveis de colesterol. Jovens com idades entre 2 a 19 anos estão apresentando uma soma alta, acima de 200, do colesterol ruim (LDL) e do colesterol bom (HDL). De acordo com especialistas, estes dados devem nos manter alertas.
 
A gravidade do problema está nas grandes incidências de jovens que apresentam problemas com colesterol. Pois estes correm o risco de sofrer infartos na vida adulta, cerca de dez anos mais cedo do que a média. Sem contar os diversos outros problemas que podem ser ocasionados pelas altas taxas de colesterol (que podem ser tratadas com o medicamento Sinvastatina), como hipertensão arterial, doenças coronarianas, derrames cerebrais e doenças cardiovasculares. 
 
Nessa faixa etária, o normal seria que o jovem não apresentasse problemas com o colesterol. No entanto, esse desequilíbrio resulta do estilo de vida das famílias. Diversas pesquisas comprovam que os brasileiros estão trocando os alimentos saudáveis, como arroz, feijão, verduras e frutas por alimentos gordurosos e industrializados, como os fast food’s. 
 
Esses maus hábitos alimentares, não aumentam apenas as altas taxas de colesterol como prejudicam a saúde dos jovens e agravam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.
 
Para reverter essa situação, é necessário mudar o estilo de vida. Não basta apenas educar as crianças e sim, dar o exemplo. Os pais devem se conscientizar e adotar um estilo de vida saudável, definindo uma alimentação equilibrada (com acompanhamento médico) e praticando atividades físicas regulares. 
 
Os alimentos que devem ser evitados são: carnes vermelhas e de porco; frituras em geral; tortas, bolos, bolachas recheadas, doces e chocolates; alimentos industrializados e gorduras saturadas. As substituições inteligentes devem ser realizadas por: carnes magras, legumes verdes, frutas, gorduras poli-insaturadas (óleo de girassol e de soja), linhaça e fibras alimentares.  
 
Uma alimentação saudável, associada com exercícios físicos regulares, faz toda a diferença. Especialistas alertam para o início rápido na mudança de estilo de vida das famílias, para desenvolver um forte processo de prevenção contra o aumento das doenças cardiovasculares e dos riscos de morte pelas complicações do alto colesterol.