Já ouviu falar na epigenética?


Uma terceira via de transmissão da obesidade para os nossos filhos!

 
 
Uma terceira via de transmissão da obesidade para os nossos filhos!
 
 
É bem conhecido que os filhos de pais obesos têm maior probabilidade de também serem obesos. E sempre se disse que existem duas maneiras de transmitir a obesidade: certos genes que predispõem à obesidade e hábitos que levam ao ganho de peso. Mas há uma terceira via a epigenética, que pode desalojar dicas interessantes.
 
 
De uma forma simplificada, pode-se dizer que as influências epigenéticas são certos genes ou a exposição de um indivíduo às condições ambientais específicas, incluindo a alimentação. Epigenética, portanto, é parcialmente modificável (em oposição à informação genética, que em princípio não é) se submeter o indivíduo a diferentes estímulos.
 
 
Dito de outra forma, a genética dá-nos (a nós e aos nossos filhos) certos genes que significam certas características, como a cor dos olhos ou o peso corporal. E a epigenética, que também é largamente hereditária, faz com que determinados genes sejam expressos, e outros não. É a combinação de ambos (genética e epigenética) determinam como os nossos filhos serão, para além da influência das condições ambientais que eles procuram.
 
 
Para um exemplo deste caso, temos duas larvas de abelhas idênticas. Se uma delas é alimentada com geleia real é produzido silênciamento epigenético de um gene, e pelo silênciamento é permitindo que as larvas se transformem em rainha. Se, no entanto, o alimento é pobre em geleia real, este gene não é silenciado e a abelha se torna uma larva de trabalho. 
 
 
É incrível ver em ação a epigenética: como eles são diferentes, rainha e os trabalhadores, tendo em conta que as larvas têm a mesma herança genética. É interessante notar uma diferença importante para nós, entre genética e epigenética, que discutimos algumas linhas acima. A pesquisa que trazemos para nossas páginas neste artigo é um bom exemplo.
 
 
Uma pesquisa que foi feita por um grupo de cientistas da Universidade de Ohio (EUA), e liderada por Felicia Nowak , professora de Ciências Biomédicas da Universidade, mostrou a epigenética. Esta pesquisa é um bom exemplo da terceira via de transmissão de obesidade que estamos falando neste artigo. Felicia Nowak resume sua pesquisa dizendo que "nós identificamos uma série de características que podem afetar o metabolismo e o comportamento das crianças que dependem da dieta que teve o pai antes da concepção".
 
 
A equipe vai continuar a olhar para tentar descobrir quais genes são afetados por esse comportamento dos pais, para saber mais sobre os fatores epigenéticos na obesidade humana. Esta pesquisa, juntamente com muitas outras do mundo estão moldando a epigenética como uma das grandes esperanças na luta contra a obesidade.
 
Henrique Torres