Cuidado com a intoxicação alimentar no verão!


No verão é importante tomar mais cuidados com a intoxicação alimentar.

 
Muitos desfrutam do período de férias na estação mais quente do ano e um dos lugares preferidos para passeio é a praia. Na praia, a diversão é garantida e na maioria das vezes não há cuidado com a alimentação, porém os riscos de intoxicação alimentar são maiores.
 
Quem resiste às delícias preparadas pelos quiosques; às deliciosas porções de frutos do mar; aos lanches que são vendidos; aos espetinhos etc.? Mas alguns cuidados devem ser redobrados na estação mais quente do ano.
 
É fundamental que as bebidas e os alimentos sejam devidamente refrigerados e que qualquer coisa a ser consumida seja observada. Ao ser percebido qualquer sinal de anormalidade no que vai ser ingerido como: alteração de cor; odor; sabor diferente; embalagem danificada etc., para que não haja problemas, não consuma.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 670 surtos de intoxicação são registrados apenas no Brasil e aproximadamente 13 mil pessoas são acometidas por intoxicação alimentar ao ano.
 
É importante que os alimentos sejam refrigerados à temperatura de -10º ou cozidos à temperatura superior a 45º.
 
Alimentos como sanduíches naturais não devem ser consumidos após duas horas de preparação. Os derivados de animal devem ser consumidos com maior cuidado, pois são mais suscetíveis à contaminação.
 
Em casos de intoxicação alimentar, as reações podem surgir de 6 a 72 horas. Os sintomas são: febre; vômitos; diarreia; sensação de fraqueza, náuseas etc.
 
Na maioria dos casos diagnosticados, se faz necessária a reposição hídrica por meio de soro. As crianças são as mais acometidas de intoxicação alimentar, por isso é importante que a atenção dos pais ou responsáveis seja redobrada.
 
Cuidado com a alimentação no verão!
Daiana Barasa