Insetos podem ser alimentos comuns no futuro


Não se trata de invenção, mas uma alternativa em tempos de escassez dos recursos naturais

Pesquisa peculiar realizada na universidade de Wageningen, na Holanda, tem por objetivo transformar insetos em pratos saborosos e altamente nutritivos. Acreditam que até 2050 esta moda pode pegar, mas não é a opinião do público ao se deparar com a ideia.  

No centro de pesquisa foram reunidos gastrônomos para experimentarem as iguarias, como macarrão em forma de gafanhotos ou larva de moscas... Mas, de acordo com os pesquisadores até 2050 o planeta terá nove bilhões de pessoas que precisarão ser alimentadas, logo o desafio será suprir toda esta população por meio da fauna e flora, então.. restam os insetos.

Não se trata apenas de iguarias, mas necessidade, visto que o planeta não teria condições ambientais e pecuárias de sustentar toda população.  Pesquisadores ainda ressaltam os valores nutritivos dos insetos, ricos em diversas vitaminas essenciais para o corpo humano, como zinco e ferro.

Vale lembrar que a criação de insetos como meio alimentício requeria o consumo de menos água do que o gado, por exemplo. Os grilos possuem 12 vezes mais proteínas do que um bife.. Quem sabe não passamos a comer grilos com batata frita no futuro? 

Uma outra ideia, também interessante abordada na pesquisa é que os grilos podem ser utilizados no preparo de ração animal, o que evitaria o uso da soja, responsável por impactos preocupantes no meio ambiente. Os estudiosos argumentam que os insetos se alimentam de excrementos, logo contribui para reciclagem do conteúdo orgânico do planeta, visto que tudo que ingerem mais tarde transforma-se em proteínas e ferro.  

 Características culturais 

A entomofagia - alimentaçao por meio dos insetos - é um hábito corriqueiro em diversos países do mundo. No Japão, por exemplo, é comum comer larva de vespas. Na Tailândia também cultivam insetos no cardápio, principalmente formigas. No mundo, já são considerados aproximadamente 1,9 mil insetos comestíveis.  

Atualmente, existe uma visão comercial por meio da produção alimentícia à base insetos, já que o consumo "in natura" é motivo de rejeição para o paladar da maioria das pessoas. Quem sabe produtos industrializados, como cereais e salgadinhos com farinha de grilo, possam agradar os consumidores? É o que aposta a empresaria americana Laura D'Saro, proprietária da empresa Six Foods. 

Fonte: BBC Brasil 

Juliana Rodrigues