A importância da Adrenalina para a anafilaxia


Os autoinjetores de Adrenalina possibilitam que o paciente alérgico ganhe mais tempo para receber atendimento médico, visto que os sintomas se agravam rapidamente

A anafilaxia é uma reação alérgica grave e pode ser causada devido a exposição a substancias alérgenas como alguns alimentos (amendoim, frutos do mar, etc.), medicamentos, látex, alguns tipos de flores e picadas de insetos. A OMS (Organização Mundial de Saúde) considera a anafilaxia uma doença aguda e potencialmente letal e o principal medicamento indicado para conter os sintomas da anafilaxia é a Adrenalina, disponível em forma injetável para autoaplicação intramuscular.

A Adrenalina, conhecida comercialmente como epinefrina, é o único medicamento, com ação comprovada, capaz de conter os sintomas da anafilaxia, que incluem dificuldade de respirar, urticária e redução da pressão arterial, podendo levar a perda de consciência e até a morte. Contudo, quem sofre de anafilaxia no Brasil só possui acesso a adrenalina injetável via importação, mediante apresentação de receita médica. Eles são obrigados a pagar preços elevados e enfrentar dificuldades burocráticas para obter o medicamento.

Os autoinjetores de Adrenalina possibilitam que o paciente alérgico ganhe mais tempo para receber atendimento médico, visto que os sintomas se agravam rapidamente. O tempo pode ser decisivo após uma reação alérgica grave, principalmente, quando a crise ocorre em ambientes afastados de hospitais. Dessa forma, a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) lançou uma campanha por meio de um abaixo assinado, que será encaminhado ao Ministério da saúde para que a Adrenalina injetável seja liberada pela ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) para comercialização no Brasil, a fim de possibilitar maior acesso desse importante medicamento.

A Adrenalina é, sem dúvida, a melhor opção contra a anafilaxia, visto que a exposição aos agentes desencadeantes muitas vezes é inevitável. O medicamento Adrenalina passa a fazer efeito em 8 minutos após a injeção intramuscular, interrompendo rapidamente os sintomas. É importante lembrar que, mesmo após a aplicação da adrenalina, o paciente deve receber atendimento médico o quanto antes.

Vanessa Ferreira