Hipertensão e câncer: possível relação


Novo estudo internacional anuncia que hipertensos têm maior risco de morrer de câncer

Um importante – e inédito - estudo realizado pelo Grupo de Epidemiologia do Câncer do Kings College de Londres vem agitando a comunidade médico científica mundial. Os pesquisadores detectaram que tanto homens como mulheres com pressão alta (hipertensão) têm mais chances de desenvolver o câncer e morrer como consequência da doença do que aquelas com pressão normal.

Os resultados deste trabalho foram apresentados durante o European Society Medical Oncology (ESMO), um dos mais importantes congressos da oncologia no mundo que ocorreu em Milão, recentemente. Considerada problema de saúde pública, a hipertensão, portanto, não provocaria tão somente problemas cardiovasculares, como o risco de infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

A pesquisa mostrou que o risco dos homens desenvolverem o câncer é de 10 a 20% maior em comparação às mulheres, mas o risco de morrer é grande para ambos os sexos.  O caminho para chegar a esta conclusão foi longo: os pesquisadores analisaram dados sobre a pressão arterial e a incidência de câncer e morte de estudo que acompanhou durante doze anos sete grupos de pacientes da Noruega, Áustria e Suécia.

Existem no mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente, 600 milhões de hipertensos. No Brasil, a Sociedade Brasileira de hipertensos (SBH) revela que a doença atinge, em média, 25% da população adulta, mais de 50% dos idosos e 5% dos 70 milhões de crianças e adolescentes.

Tanto a pesquisa como os números da OMS e da SBH  servem como um alerta para a população: não basta ficar na intenção - é preciso adotar, de fato, um estilo de vida saudável. Diminuir o consumo de sal, praticar atividades físicas ou esportes de maneira regular, além de controlar e manter o peso ideal.
 
Por: AgComunicado