Genes da Obesidade Ligados ao Câncer de Pele


Estudo conclui que um gene associado à obesidade está também relacionado com o câncer de pele mais fatal, o melanoma maligno. Veja!

Genes da Obesidade Ligados ao Câncer de Pele
 
 
Um gene associado à obesidade está também relacionado com o câncer de pele mais fatal, o melanoma maligno. A conclusão veio de um novo estudo realizado por especialistas do Cancer Research UK, da Universidade de Leeds, na Inglaterra e foi publicado na natureza genética.
 
 
Indivíduos com certas variações em um trecho de DNA dentro do gene FTO, conhecido como intron 8, podem ter uma chance maior de desenvolver melanoma, de acordo com os resultados. Cientistas têm sabido que o fator de risco genético mais crítico para a obesidade e as demais são variações em uma parte diferente do gene FTO, conhecido como intron 1.
 
 
Em 2010, pesquisadores no Conselho da pesquisa médica (MRC), do Reino Unido, demonstraram que possuir o gene FTO inadequado leva a comer em excesso e consequentemente a obesidade. A obesidade é um sério problema de saúde que pode acarretar em outros mais sérios, como o diabetes, que pode ser tratado com medicamentos como o Victoza.
 
 
Essas variantes estão associadas com o IMC (índice de massa corporal), que calcula a forma de uma pessoa por meio de sua altura e seu peso. As pessoas com altas taxas de IMC podem ter um risco elevado de uma gama de doenças, como doença renal, diabetes tipo 2, câncer de útero (endométrio) e uma série de outros problemas.
 
 
O estudo atual, no entanto, é o primeiro a demonstrar que a genética desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do melanoma, uma doença que não é associada com obesidade e ao IMC.
 
Henrique Torres