Febre reumática na infância


Entenda do que se trata


Você já ouviu falar na febre reumática? É uma reação autoimune a um determinado tipo de infecção na garganta. Essa infecção de garganta é causada por uma bactéria conhecida como estreptococo que gera febre, dores, aumento dos gânglios do pescoço, vermelhidão e pus na região da garganta. A febre reumática ataca as articulações, o coração, a pele e o cérebro.

A idade para apresentar o problema varia de 5 a 15 anos de idade. Mas vale salientar que este mal possui íntima ligação com fatores genéticos. Não dá para saber se a criança é predisposta ou não ao problema, o que pode ser feito é tratar devidamente a dor de garganta para que não ocorra a febre reumática.

Nada de medicar a criança por conta própria – Mesmo que a venda de antibióticos seja proibida, infelizmente algumas farmácias vendem o medicamento sem receita. Mas vale enfatizar que a infecção bacteriana que agride a garganta se devidamente tratada não causa o mal da febre reumática, mas para isso é essencial seguir com fidelidade a prescrição do médico. Alguns pais costumam dar à criança algum anti-inflamatório sem prescrição, o que pode camuflar a infecção e agravar o problema. 

Este mal costuma se manifestar de duas a três semanas após uma infecção de garganta causada pela bactéria estreptococo. 

Amigdalites frequentes não estão relacionadas a maior risco de febre reumática. Algumas pessoas terão vários quadros de amigdalite ao longo da vida, mas se não tiverem a predisposição genética nunca apresentarão o problema.

Em relação aos sintomas é comum que as dores se manifestem nos joelhos, tornozelos, cotovelos e punhos. Costuma durar poucos dias e os anti-inflamatórios costumam proporcionar “melhora” rápida, mas vale salientar que melhora os sintomas e não trata o problema.

É fundamental não praticar a automedicação, no caso da criança, não medicá-la por conta própria. Em caso de infecção o tratamento deve ser prescrito por um médico e se houver sintomas decorrentes de febre reumática apenas um especialista poderá diagnosticar e prescrever o tratamento adequado.

 

Daiana Barasa