Falta de remédios no HC, de Ribeirão Preto, gera reclamações de pacientes


Secretaria de Estado da Saúde informou que distribuição está sendo normalizada

Há uma lista de medicamentos que enfrentam problemas de distribuição no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, entre eles o microfenolato de sódio, que é um imunossupressor, a imunoglobulina, indicada para tratar a hepatite B, a ziprasidona, que serve para conter crises psicóticas, o arava, usado contra a artrite, e a acitretina, prescrita para psoríase.

Uma paciente está sem o remédio para tratar a artrite desde o dia 19 de abril. Os funcionários da farmácia afirmaram que o remédio está em falta e que é preciso telefonar todos os dias para o local para saber a data da chegada. Ela descobriu que tinha artrite nas mãos e nos pés há alguns anos e enfrenta pela primeira vez as dificuldades para conseguir o medicamento.

A falta da imunoglobulina e do microfenolato passou a ser registrada por pacientes nas últimas semanas. Já o problema com a ziprasidona iniciou em abril, meses após o início do registro dos transtornos com a distribuição da acitretina.

A Secretaria de Estado da Saúde informou, por meio da assessoria de imprensa, que as distribuições de acitretina e de arava estão normalizadas, e que a farmácia de Ribeirão Preto possui no estoque mais de 41 mil unidades de microfenolato e 8 mil de ziprasidona. O problema foi atribuído ao fato de que alguns pacientes não conseguiram os medicamentos. O mesmo órgão notificou que só o estoque da imunoglobulina está a zero. O remédio foi repassado em fevereiro e abril deste ano e outro repasse de frascos era previsto para a semana passada.

A falta de medicamentos causa uma preocupação nos pacientes, mesmo entre aqueles que não dependem dos mesmos, pois a escassez atrapalha os tratamentos.

Fonte:        Folha de S. Paulo