Estudo Mostra que Grávidas podem Melhorar a Saúde do Feto pelo uso de Ácido Fólico


Os cientistas sugerem que as mulheres que tomam o ácido fólico antes e durante os primeiros três meses de gravidez podem reduzir o risco de seu filho desenvolver autismo.

Os cientistas sugerem que as mulheres que tomam o ácido fólico antes e durante os primeiros três meses de gravidez podem reduzir o risco de seu filho desenvolver autismo. Pesquisadores da UC Davis MIND Institute relataram no American Journal of Clinical Nutrition (edição de junho de 2012) que tomar ácido fólico durante o primeiro mês de gravidez reduz o risco de ter uma criança com autismo.

 

 

Neste estudo mais recente, Pal Surén, médico do Instituto norueguês de saúde pública, Oslo, Noruega e sua equipe investigaram se pode haver uma ligação entre a ingestão de ácido fólico materno e suplementos imediatamente antes e durante a gravidez precoce pode resultar na redução do risco de transtornos do espectro do autismo em crianças.

 

 

Transtornos do espectro do autismo (Edivanildo) incluem síndrome Asperger, transtorno autista e penetrante desenvolvimento de transtorno não especificado (PDD-NOS). Os remédios inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRSs), como o Prozac pode ser receitado para controlar a ansiedade.

  

 

Eles se reuniram e analisaram dados da potencial mãe norueguêsa e o estudo de coorte de criança (MoBa), envolvendo 85.176 crianças. Elas haviam nascido entre os anos de 2002 a 2008. Até o final do período de seguimento (2012), variaram de crianças em idade de 3,3 a 10,2 anos, com idade média de 6,4 anos.

 

 

Os pesquisadores ficaram especialmente interessados no uso de suplementação de ácido fólico de quatro semanas antes e oito semanas após a gravidez, "definido como o primeiro dia do último período menstrual antes da concepção". O tempo de ingestão de ácido fólico é importante - a suplementação de ácido fólico durante o final da gravidez tem sido associada à asma em crianças e jovens. Os pesquisadores fizeram ajustes para o ano de nascimento, a escolaridade materna e o número de filhos nascidos vivos.

Henrique Torres