Estudo Mostra a Relação da Dieta com a Esclerose Lateral Amiotrófica


Veja como foi realizado o estudo que comprova que frutas e legumes diminuem risco de esclerose lateral amiotrófica

Estudo Mostra a Relação da Dieta com a Esclerose Lateral Amiotrófica 
 
 
Frutas colorida e legumes diminuem risco de esclerose lateral amiotrófica (ALS). Os pesquisadores usaram dados de cinco grupos diferentes:
 
 
1. Os institutos Nacionais de Saúde (NIH) - AARP Dieta e Saúde
2. A Coorte de Nutrição de Estudo de Prevenção de Câncer
3. A Coorte Multiétnico
4. O Estudo de Acompanhamento de Profissionais de Saúde
5. Estudo da Saúde das Enfermeiras
 
 
O estudo, publicado na revista Anais de Neurologia, confirmou que carotenóides coloridos impediram o aparecimento de esclerose lateral amiotrófica (ALS), enquanto dietas altas em vitamina C, licopeno e beta-criptoxantina não diminuíram o risco de esclerose lateral amiotrófica (ALS).
 
 
Os pesquisadores analisaram mais de 1 milhão de participantes. No total, foram encontrados 1.093 casos de esclerose lateral amiotrófica (ALS), após a exclusão de participantes com o consumo de alimentos pouco prováveis. Os pesquisadores revelaram que uma maior ingestão de carotenóide foi associada com um risco diminuído de contrair a esclerose lateral amiotrófica (ALS). Pessoas com carotenóides extras em suas dietas foram encontradas mais propensas a não ter esclerose lateral amiotrófica (ALS).
 
 
Suplementos de vitamina C tomados durante um longo período de tempo também não estavam ligados à redução do risco de esclerose lateral amiotrófica (ALS). O Dr. Ascherio conclui, "nossos resultados sugerem que consumir alimentos ricos em carotenóides pode ajudar a prevenir ou retardar o aparecimento da esclerose lateral amiotrófica (ALS). Mais análises baseadas em alimentos são necessárias para analisar o impacto dos nutrientes dietéticos em esclerose lateral amiotrófica (ALS)".
 
 
Henrique Torres