Estudo mostra a Queda de Epilepsia


Veja como o estudo foi feito e os dados colhidos sobre a epilepsia no Reino Unido!

Estudo mostra a Queda de Epilepsia 
 
 
Os dados que os pesquisadores usaram em sua análise vieram de registros de mais de trezentas mil crianças com idade entre 0 a 14 anos que tinham sido seguidos de 1994 a 2008. Eles descobriram que, globalmente, o número de crianças diagnosticadas com epilepsia que nasceram entre os anos de 2003 e 2005, foi 33% menor do que aqueles que nasceram entre os anos de 1994 e 1996.
 
 
Concluem os pesquisadores: "O declínio desde meados da década de 1990, na epilepsia gravada nos cuidados primários, pode ser devido ao diagnóstico mais específico, a cessação do tratamento de algumas formas de epilepsia, reduzido a exposição a fatores de risco ou todos esses fatores."
 
 
Eles sugerem a vacinação contra a meningite e as reduções nos casos de traumatismo crânio-encefálico em crianças, ambos os quais são conhecidos como fatores de risco para epilepsia da infância. Mas isso é menos provável de acontecer hoje em dia, porque a abordagem é mais rigorosa, em parte como resultado de orientações do Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica (NICE).
 
 
No entanto, Simon Wigglesworth, executivo-chefe adjunto na ação de epilepsia, diz: "a epilepsia continua sendo uma das condições neurológicas mais prevalentes em crianças no Reino Unido". Simon Wigglesworth conclui que enquanto os resultados do estudo podem ser explicados pela queda das taxas de subdiagnósticos em crianças, que eles sabem serem altas, eles não estão convencidos de que não é toda a imagem do problema. Os médicos dizem que eles não estão vendo os números de crianças com epilepsia caindo em suas cirurgias.
 
 
 
Henrique Torres