Epidemiologia da Obesidade


Entenda quais são as principais caracteristicas e os principais efeitos da obesidade sobre a saúde. Saiba também como combatê-la.

Epidemiologia


Antes do século 20, a obesidade era rara; em 1997, a OMS reconheceu formalmente a obesidade como uma epidemia global Em 2005, a OMS estima que pelo menos 400 milhões de adultos (9,8%) são obesos, com taxas mais elevadas entre mulheres do que homens. A taxa de obesidade também aumenta com a idade, pelo menos, até 50 ou 60 anos e obesidade severa nos Estados Unidos, Austrália, Canadá e está aumentando mais rápido do que a taxa global de obesidade.


Uma vez considerado um problema só de países de alta renda, as taxas de obesidade estão a aumentar em todo o mundo, o que afeta tanto o mundo desenvolvido e em desenvolvimento. Estes aumentos foram sentidos de forma mais dramática em áreas urbanas. A única região remanescente do mundo onde a obesidade não é comum é na África Subsaariana.

 

Um medicamento, o orlistat (Xenical), é atualmente amplamente disponível e aprovad para uso em longo prazo. A perda de peso, porém, é modesta, com uma média de 2,9 kg (6,4 lb) de 1 a 4 anos e há pouca informação sobre como estas drogas afetam as complicações em longo prazo da obesidade. Seu uso está associado com altas taxas de efeitos colaterais gastrointestinais e foram levantadas questões sobre os efeitos negativos sobre os rins. Dois outros medicamentos também estão disponíveis. Lorcaserin (Belviq) resulta em uma média de perda de peso de 3,1 kg (3% da massa corporal) superior à do placebo em mais de um ano. Uma combinação de fentermina e topiramato (Qsymia) também é bastante eficaz.


O tratamento mais eficaz para a obesidade é a cirurgia bariátrica. Cirurgia para obesidade grave está associada em longo prazo a perda de peso e diminuição da mortalidade geral. Um estudo revelou uma perda de peso entre 14% e 25% (dependendo do tipo de procedimento realizado) aos 10 anos, e uma redução de 29% em todas as causas de mortalidade em comparação com as medidas de perda de padrão de peso. No entanto, devido à seu custo e ao risco de complicações, os pesquisadores estão procurando por outros tratamentos eficazes ainda menos invasivos.

Henrique Torres