Efeitos do cigarro no cérebro


Estudos e pesquisas afirmam que o fumo, afeta as funções mentais e cognitivas do ser humano.

 
O cigarro pode destruir os neurônios do cérebro e dificultar o aprendizado. Uma pesquisa realizada em Londres comprovou que o cérebro dos fumantes é afetado pelas substâncias tóxicas, contidas no cigarro. A fumaça decorrente do tabaco destrói os neurônios e estimula a produção de neurotoxinas e radicais livres, que atuam promovendo o envelhecimento precoce, destruindo as células e causando diversos danos ao cérebro. 
 
Com esses efeitos, o cérebro dos fumantes apresenta dificuldade para se concentrar, raciocinar e memorizar informações. 
 
Outro estudo britânico comprova essa afirmação. Os pesquisadores acompanharam mais de 5.000 mil homens, com idade entre 50 e 56 anos ao longo de 25 anos. Os participantes da pesquisa foram submetidos a diversas provas cognitivas. Ao final das análises, os pesquisadores descobriram que o tabagismo esteve vinculado diretamente com uma redução mais rápida da capacidade mental, em todos os testes cognitivos realizados nos fumantes.
 
Com esses resultados, de fato o cigarro afeta as funções mentais dos fumantes. Essas descobertas também explicam o envelhecimento da população mundial, bem como o aumento nos casos de morte ocasionados pelo fumo. Sem contar as doenças fatais do pulmão, causadas pelo cigarro. 
 
Segundo a Organização Mundial de Saúde, a doença conhecida como tosse de fumante, mata uma pessoa a cada 10 segundos e tende a se tornar a terceira maior causa de morte no mundo, até 2030. 
 
Não há dúvidas de que o fumante é o maior prejudicado pelo cigarro. Em média, os fumantes vivem cerca de dez anos menos que os não fumantes e sofrem com os efeitos imediatos do cigarro, que elevam os riscos de diversas doenças.  Fumar provoca: vaso contrição e redução do fluxo sanguíneo (que pode ser tratado com o medicamento Sinvastatina), redução do colesterol bom (HDL), inflamação e irritação nos olhos, garganta e vias aéreas (que pode ser tratada com o medicamento Dexametasona) e aceleração da arteriosclerose.
 
Fumar aumenta a pressão arterial, a frequência cardíaca, eleva o risco de doenças coronárias, aumenta o risco de infartos, triplica os riscos de acidente vascular cerebral (AVC) e ainda contém mais de 40 substâncias cancerígenas. 
 
Preserve seu organismo e sua saúde. Coloque um fim no vício do cigarro e adquira uma qualidade de vida e bem-estar. Trocando o cigarro por uma dieta balanceada e a prática regular de exercícios físicos, você pode proporcionar mais energia, fôlego e disposição para sua vida.