Efeitos da Sibutramina


Um medicamento indicado para pacientes que estão em tratamento contra a obesidade, a sibutramina pode tanto auxiliar no tratamento, como causar efeitos colaterais.

Nos tratamentos da obesidade, é comum alguns especialistas recomendarem a Sibutramina, no entanto, é importante ressaltar que ao mesmo tempo que, pode ser um grande aliado, não pode ser a única opção, pois alguns estudos comprovam os riscos que esse medicamento pode causar para a saúde.
 
A Anvisa monitorou a substância em alguns casos de pacientes que apresentavam problemas de obesidade e decidiu manter o seu comércio no Brasil, por conta do número de efeitos adversos, estar dentro dos padrões permitidos. Visto que existem casos adversos, é necessário ter muito cuidado em seu consumo, de modo que seja monitorado e acompanhado por um especialista. 
 
A substância é indicada em tratamentos de obesidade, mediante a prescrição médica, em casos de pacientes que não obtiveram sucesso com reeducação alimentar e práticas de exercícios físicos e apresentam obesidade grau 1 (quando o Índice de Massa Corpórea, IMC, está entre 30 e 34), grau 2 (IMC entre 35 e 39) ou grau 3 (IMC acima de 40). Este medicamento age no sistema nervoso central e provoca no paciente, sensação de saciedade e controle da fome. Entretanto, por ser um medicamento que age no sistema nervoso central, (como os antidepressivos), pode causar efeitos colaterais.
 
Os efeitos colaterais de seu consumo inadequado, podem ocasionar na elevação da frequência cardíaca, dores de cabeça, pressão arterial, insônia, boca seca e prisão de ventre. Por isso é fundamental que o tratamento com este medicamento, esteja associado com uma reeducação alimentar e práticas de atividades físicas. 
 
O consumo inadequado dessa substância também pode causar o “efeito rebote”, porque ao interromper o tratamento para emagrecer, o corpo fica mais propenso ao ganho de peso.  Pois a sibutramina possui propriedades que aumentam o efeito da serotonina e dopamina no cérebro, que são responsáveis por estimular a sensação de saciedade, ao impedir esse fornecimento, a ingestão de alimentos aumenta porque a pessoa sente mais fome.
 
Por isso é necessário seguir a risca as orientações dos médicos, para que a utilização desse medicamento promova bons resultados na perda de peso, assim como uma mudança nos hábitos alimentares é imprescindível após o tratamento, a prática de exercícios físicos pode trazer inúmeros benefícios para a saúde e bem-estar.