Doenças comuns na primeira infância


São comuns e podem até ser frequentes nos primeiros dois anos de vida da criança


O sistema imunológico é formado desde o nascimento da criança até dois anos de idade. Quando o bebê está no útero a proteção contra vírus e bactérias é total e o organismo da criança desconhece vírus e bactérias. Quando a criança nasce obviamente entra em contato com micro-organismos e antes que o sistema imunológico se “arme” contra a invasão da doença os agentes já entraram e provocaram algum problema de saúde.

Os problemas mais comuns são: dor de garganta, otite, viroses, entre outros. Em muitos casos, na tentativa de se fortalecer o sistema imunológico da criança pode criar resistência exagerada a determinado contato com agentes inofensivos, causando processos alérgicos.

O parto normal é o mais indicado porque é parte do primeiro tratamento à criança assim que nasce, isso porque a criança quando entra em contato com o canal vaginal automaticamente é colocada em contato com bactérias que auxiliarão no processo de fortalecimento do sistema imunológico.

A amamentação também representa um grande auxílio, isso porque quando a mulher amamenta está transmitindo à criança por meio do leite, substâncias importantes para o desenvolvimento do sistema imune do bebê.

A partir dos seis meses de idade quando a criança já pode ter acesso a outros alimentos é importante investir em importantes nutrientes como a vitamina C, que ajuda no fortalecimento do sistema de defesa do organismo. E também não pode faltar o nutriente ácido fólico, que age em prol da formação dos glóbulos brancos, importantes para a proteção do organismo.

Muitos pais querem manter a criança 100% livre do contato com agentes infecciosos e a mantém em ambientes extremamente limpos, há casos em que os pais se desfazem dos animais de estimação para preservar a saúde da criança, atitude errônea. Muitos estudos já apontaram que é importante que a criança conviva com agentes externos (micro-organismos) desde cedo para que o sistema imunológico se fortaleça contra os agentes infecciosos.

Manter a vacinação da criança em dia é essencial e tomar alguns cuidados como manter os  ouvidos sempre limpos e secar bem depois do banho. Não deixar a criança muito tempo exposta após o banho sem roupinha ou demorar para secá-la também pode contribuir para o surgimento de resfriados.

Que a criança fique doente com mais frequência até os dois anos de vida é perfeitamente natural, e quando surgirem sintomas desconhecidos é importante sempre levar a criança a um médico para devido diagnóstico e tratamento.

 

 

Daiana Barasa