Doença de Crohn pode ser confundida com outras enfermidades


Saiba mais.

A Doença de Crohn (DC) é uma doença inflamatória intestinal crônica de origem ainda não conhecida por médicos especialistas, porém suas características básicas são definidas habitualmente em diarreia frequente (mais de cinco semanas), dor abdominal, febre e, às vezes, sangramento retal. Segundo a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), os sintomas podem variar de leves a graves, mas em geral, as pessoas com a Doença de Crohn podem levar vidas ativas e produtivas.
 
A doença não é contagiosa e se manifesta igualmente em homens e mulheres e, em grande parte dos casos, em parentes próximos. A incidência é maior entre os 20 e 40 anos, principalmente em fumantes. A DC chega a ser diagnosticada inclusive como um fator de risco para o desenvolvimento do câncer de intestino.
 
As regiões predominantemente afetadas pela Doença de Crohn são o intestino delgado (parte inferior - íleo) e o intestino grosso (cólon), no entanto podem afetar qualquer parte do trato gastrointestinal. Sendo assim, é necessário investigar qual a área afetada especifica através de exames de imagem. Procedimentos como endoscopia digestiva, colonoscopia, tomografia, ressonância ou raio X do trânsito intestinal visam obter um resultado diferencial do problema e tratá-lo de maneira efetiva.
 
O tratamento da Doença de Crohn é complexo e exige habilidades clínicas e cirúrgicas, dependendo da situação. A abordagem cirúrgica acontece em casos de obstruções no sistema intestinal. Já a clínica, uma vez que ainda não se conhece a cura para a DC, tem por objetivo manter a remissão dos sintomas, ou seja, a ausência dos mesmos por um longo período, por meio de tratamento medicamentoso.
 
É válido ressaltar que a doença de Crohn pode demorar a ser diagnosticada por conta da extensa lista de sintomas em comum com outras enfermidades. Por isso é essencial procurar ajuda do gastroenterologista o quanto antes.
 
Por: AgComunicado