Dislipidemia pode levar problemas cardíacos graves ou derrame


Tratamento inclui o uso de medicamentos, porém, mudança nos hábitos alimentares é primordial

A dislipidemia ocorre quando o organismo apresenta altas taxas de gordura (ou lipídios) no sangue. Tais gorduras incluem o colesterol e os triglicérides: o primeiro é encontrado na corrente sanguínea e ajuda na formação das membranas celulares e alguns hormônios; os triglicérides são as gorduras mais comuns no organismo também fonte de energia. Provém tanto da alimentação como são produzidas pelo próprio organismo.

Os lipídeos são responsáveis pela produção e armazenamento de energia, absorção de vitaminas, entre outras funções. Em excesso podem levar a disfunção cardíaca, a aterosclerose, que consiste na formação de placas de gordura nos vasos, dificultando a circulação sanguínea, levando ao infarto ou derrame.

Entre as possíveis causas da dislipidemia estão a falta de exercícios, o tabagismo e a alimentação inadequada. No entanto, pessoas sem apresentar nenhum destes fatores de risco, desenvolvem a dislipidemia devido a fatores genéticos. Pode ainda ser causada por outras doenças que interferem no metabolismo, como o diabetes e o hipotireoidismo.

A dislipidemia não costuma provoca sintomas, sendo detectada através de exames de sangue. O tratamento inclui o uso de medicamentos, porém, o tipo e a dose dependerão de uma série de fatores, como os níveis de colesterol e triglicérides, e se já há doenças como o diabetes ou cardíacas. Mudanças no estilo de vida e de alimentação são primordiais para manter o peso dentro dos padrões permitidos conforme altura e idade.

Confira dicas para diminuir as gorduras da alimentação:

• Adoção de uma alimentação equilibrada que reduza o consumo de carnes vermelhas, gema de ovo, laticínios integrais (leite, queijos amarelos, manteiga), embutidos (presento, salame, mortadela), frituras e frutos do mar;

• Preferência por óleos vegetais, como girassol, canola, milho e soja. O azeite de oliva é um dos mais saudáveis;

• Incluir maior quantidade de frutas, legumes e verduras;

• Ler sempre o rótulos dos produtos industrializados;

• Aos preparar as carnes, retirar a gordura e a pele (frango ou peixe);

• Praticar atividade física, pelo menos, duas vezes na semana;

• Não fumar e consuma bebida alcoólica com moderação.

Por: AgComunicado