Dificuldade de enxergar de perto e dor de cabeça podem ser sintomas de “vista cansada”


Problema é mais comum em pessoas acima dos 40 anos.

 A capacidade que o ser humano tem de acomodar a visão para perto está associada ao funcionamento do cristalino, uma espécie de lente natural interna do olho. Conforme ocorre o envelhecimento, a elasticidade e o tamanho do cristalino podem sofrer alterações, o que pode gerar a sensação de “vista cansada”. A leitura de textos, bulas ou rótulos pode se tornar uma tarefa mais difícil. Também denominado de presbiopia, o problema costuma levar algum tempo até ser diagnosticado.
 
Em termos práticos, na consulta ao oftalmologista, o diagnóstico de presbiopia ou “vista cansada”, significa a dificuldade de se focalizar objetos de perto. Essa alteração ocular ocorre geralmente após os 40 anos, mas também há casos em pessoas mais jovens. Quem apresenta hipermetropia ou diabetes podem apresentar presbiopia mais cedo. As principais características que detectam o início de um quadro de vista cansada são o afastamento dos objetos para se conseguir enxergar melhor e dor de cabeça. 
 
A correção deste problema pode ser realizada com o uso de óculos ou cirurgia. No entanto, a melhor indicação varia de acordo com a idade, atividade profissional e características específicas de cada paciente.
 
Os óculos podem ser indicados, primeiramente, com graduação apenas para perto. Quando houver necessidade, pode-se corrigi-lo também para longe. Já a correção cirúrgica da presbiopia, na qual se faz a substituição do cristalino natural do olho, só é feita em casos bem específicos. Como toda cirurgia, existe sempre a possibilidade de complicações.
 
A consulta regular ao oftalmologista, pelo menos anualmente, é a melhor forma de garantir a saúde ocular e fazer o melhor tratamento, tanto para a vista cansada como para outros problemas que podem afetar a visão.
 
Por: AgComunicado