Diferentes tipos de dores afetam a mesma parte do cérebro


Descoberta pode ser útil para lidar com esses sentimentos

Segundo uma nova pesquisa, a dor da rejeição é algo tão real como a dor física. As experiências intensas de rejeição social ativam as mesmas áreas cerebrais que atuam na resposta a experiências sensoriais dolorosas. Os resultados do estudo serão publicados na revista Proceedings of the National Academy of Sciences

Anteriormente, acreditava-se que um episódio de dor causado, por exemplo, por um machucado ou uma queimadura, provocaria um certo tipo de dor e um episódio de rejeição como o término de um relacionamento provocaria outro tipo de dor. Porém, os resultados da pesquisa  dão novo sentido à ideia de que a rejeição social realmente “machuca”. As duas dores são mais semelhantes do que se imaginava, uma vez que as mesmas regiões no cérebro apoiam os sentimentos emocionalmente estressantes que acompanham a experiência tando da dor física como da rejeição social.

 
A pesquisa salienta que há uma relação entre os dois tipos de experiências em áreas do cérebro, uma parte em comum que se torna ativa quando uma pessoa experimenta sensações dolorosas, físicas ou não.  

Participaram do estudo 40 voluntários que haviam passado por um fim inesperado de relacionamento amoroso nos últimos seis meses e que disseram se sentir rejeitados. Cada um completou duas tarefas, uma relacionada à sensação de rejeição e outra com respostas à dor física. Seus cérebros foram examinados por ressonância magnética e os pesquisadores observaram que as sensações induzidas de rejeição social ativam as mesmas regiões cerebrais envolvidas com a sensação de dor física. 

Segundo os pesquisadores, essa descoberta pode ser útil no auxílio de pessoas que são afetadas por sentimentos de perdas e rejeição.

 

Autor:  Agência Comunicado

Fonte:  UOL