Diagnóstico da Pressão Alta Secundária


Conheça os testes mais realizados para o diagnóstico da pressão alta secundária!

Diagnóstico da Pressão Alta Secundária
 
 
Hipertensão secundária é mais comum em crianças e pré-adolescentes causada por doença renal. Hipertensão primária ou essencial é mais comum em adolescentes e tem vários fatores de risco, incluindo obesidade e história familiar de hipertensão. Testes de laboratório também podem ser realizadas para identificar possíveis causas de hipertensão secundária e para determinar se a hipertensão tem causado danos ao coração, olhos e rins.
 
 
Exames complementares de diabetes e níveis elevados de colesterol geralmente são realizados porque estas condições são fatores adicionais de risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas e podem necessitar de tratamento. O medicamento Ablok é indicado por muitos médicos para o tratamento de Hipertensão Arterial.
 
 
A creatinina sérica é medida para avaliar a presença de doença renal, que pode ser a causa ou o resultado da hipertensão secundária. Creatinina sérica sozinha pode superestimar a taxa de filtração glomerular e orientações recentes defendem o uso de equações preditivas, tais como a modificação da dieta na fórmula de Doença Renal (IATF) para estimar a taxa de filtração glomerular (eGFR). Além disso, testes de amostras de urina para proteína é usado como um indicador secundário da doença renal.
 
 
Teste de eletrocardiograma (ECG/EKG) é feito para verificar se há evidências de que o coração está sobre tensão de pressão alta. Também pode mostrar se o espessamento do músculo do coração (hipertrofia ventricular esquerda) ou se o próprio coração tem experimentado uma perturbação como um ataque de coração silencioso. Uma radiografia do tórax ou um eco cardiograma também podem ser realizados para procurar sinais de alargamento do coração e danos ao coração.
 
Henrique Torres