Desafiando o envelhecimento!


Os idosos atuais estão alcançando idades muito avançadas e estão melhores no desempenho mental, uma pesquisa dinamarquês sugere.

 
Os idosos atuais estão alcançando idades muito avançadas e estão melhores no desempenho mental, uma pesquisa dinamarquês sugere. As pessoas nascidas em 1915 pontuaram mais em testes cognitivos em seus 90 anos em comparação com os nascidos na década anterior, de acordo com um estudo na revista The Lancet. Melhores condições de vida e estimulação intelectual podem ser fatores-chave, dizem os especialistas.
 
 
O número de pessoas que alcançam idade muito avançada está a aumentar globalmente. Em todo os EUA, por exemplo, a quantidade de pessoas com idade acima de 90 anos ou mais dobrou em 30 anos. Na Dinamarca, onde o estudo foi realizado, a chance de sobreviver a 10 décadas de vida tem subido cerca de 30% a cada década para as pessoas nascidas em 1895, 1905 e 1915.
 
 
“Parece que entre os que nasceram em 1915, a função cognitiva em idade avançada é comprovadamente melhor do que para os nascidos em 1905, mesmo quando as mudanças subjacentes, como a melhoria da educação são levados em conta”, disse o professor Tom Kirkwood da Universidade de Newcastle. No entanto, tem havido pouca pesquisa sobre a qualidade de vida, para que as pessoas que alcançam uma idade tão avançada possam olhar para frente.
 
 
Os pesquisadores, liderados pelo professor Kaare Christensen, da Universidade do Sul da Dinamarca, em Odense, examinou todos os dinamarqueses nascidos em 1905 que ainda estavam vivos e que viviam no país em 1998 (3.600 pessoas, com idades entre 92-93). Eles avaliaram a sua força física, o funcionamento mental, a capacidade de realizar tarefas da vida diária, e todos os sintomas de depressão.
 
 
Doze anos depois eles repetiram o estudo com os dinamarqueses nascidos em 1915 (2.509 pessoas, com idades entre 94-95). Os pesquisadores descobriram que os homens e as mulheres nascidos em 1915, se desempenharam melhor do que aqueles que nasceram em 1905, em termos de capacidade cognitiva e atividades da vida diária, mesmo após correção para mudanças, como uma melhor educação.
 
 
O professor Christensen e seus colegas disseram: "Nossos resultados mostram que o grupo dinamarquês nascido em 1915 teve melhor sobrevida e marcou significativamente melhor em ambos os testes cognitivos e as atividades de vida diária do que a coorte nascida em 1905, apesar de ser dois anos mais velhos no momento da avaliação. "Esta descoberta sugere que mais pessoas estão a viver até idades mais avançadas com melhor funcionamento global".
 
 
Comentando o estudo, o professor Tom Kirkwood, diretor associado para o envelhecimento na Universidade de Newcastle, disse que os dados da Dinamarca foram "encorajadores". "Parece que entre os que nasceram em 1915, a função cognitiva em idade avançada é comprovadamente melhor do que para os nascidos em 1905, mesmo quando as mudanças subjacentes, como a melhoria da educação são levados em conta", disse ele. 
 
 
No Reino Unido, o quadro mais completo de saúde em idade avançada vem do estudo de Newcastle + 85, que tem estado a olhar para as pessoas nascidas em 1921. As investigações serão repetidas naqueles que nasceram uma década mais tarde, dando a chance de ver se os resultados dinamarqueses se aplicam em outras populações.
Henrique Torres