Crianças que Nascem com Atitudes e Comportamentos Diferentes


Entenda como se dá a educação de crianças com atitudes e comportamentos diferentes.

O objetivo da paternidade deve ser educar os filhos com uma autoimagem saudável e autoestima, ingredientes vitais para o sucesso na escola e na vida. Que significa aceitar crianças da forma como eles nascem — homossexuais ou heterossexuais, atléticos ou cerebrais, suaves ou duros, altamente inteligentes ou menos, magros ou gordinhos, tímidos ou saídinhos, tranquilos ou mais exigentes.

 

 

Especialmente pungente é seu relato de uma família com um filho com síndrome de Down. Durante anos, o menino progrediu academicamente em ritmo com seus pares e foi uma criança nos níveis do que poderia fazer uma pessoa com síndrome de Down. Mas quando o filho poderia ir mais longe, sua mãe reconheceu que ele precisava continuar sendo o que era, e não tentando ser “normal”. "Nós tinhamos trabalhado tão duro para educá-lo para ser alguém que fosse mais do que uma pessoa com síndrome de Down”, afirmou a mãe. "Mas eu tinha que olhar para o que era melhor para ele e não para algum ideal que tinha sido construído por nós mesmos."

 

A maioria dos pais entrevistados encontrou um monte de significados e muitas recompensas em lidar com uma criança que era diferente. "Disseram-me que lhes deu uma vida muito mais rica que não se deram para todo o mundo," disse o Sr. Solomon. "Há muitas maneiras de existir neste mundo e muitas maneiras diferentes de ser feliz."

 

 

Escolas, também, devem saber acomodar as crianças que são diferentes, disse o Sr. Schwartz, cujo livro detalha as lutas que seu filho enfrentou até mesmo em uma cidade com grandes escolas. Não é apenas uma questão de escolas efetivamente lidarem com assédio moral, disse ele. "Jeanne e eu acreditamos que escolas podem fazer muita coisa com os recursos que eles têm para poderem abraçar as diferenças em crianças e reconhecer quando estão estressadas indevidamente" ele disse.

Henrique Torres