Crianças acima do peso: o que fazer?


A alimentação deve ser regrada desde muito cedo

Quem resiste a um bebê gordinho? Há muito tempo atrás, era sinônimo de saúde, de criança bem alimentada, mas hoje já se sabe que excesso de peso em bebês pode representar algum problema de saúde.

Segundo dados recentes da Organização Mundial de Saúde, a obesidade é um mal que atinge aproximadamente 42 milhões de crianças, principalmente na faixa dos cinco anos de idade.

Os fatores genéticos e maus hábitos alimentares estão intimamente ligados com o ganho de sobrepeso na infância. Na maioria dos casos, a alimentação da criança é apenas um reflexo dos maus hábitos alimentares dos pais. O açúcar costuma ser inserido na dieta da criança desde muito cedo, seja na mamadeira por meio dos achocolatados ou do açúcar propriamente dito, sucos industrializados, biscoitos recheados e o nocivo refrigerante já é oferecido à criança desde os primeiros meses de vida. Talvez você mesmo já tenha visto refrigerante na mamadeira de crianças com aproximadamente seis meses.

O principal alimento nos primeiros meses de vida da criança é o leite materno, algumas mães erroneamente acreditam que o leite não é nutritivo o suficiente para suprir as necessidades da criança, mas ao contrário, a criança já nasce com a saciedade equilibrada, o leite materno supre a necessidade da criança por completo, por isso, não é necessário oferecer suplementos à criança se a mãe pode amamentar.

Se houve a orientação do pediatra para o uso de alguma fórmula na alimentação da criança, respeite a dosagem.

É fundamental, principalmente a partir dos seis meses de vida quando alguns alimentos já são introduzidos na alimentação da criança, que haja uma disciplina com horários. Alimentos industrializados devem ser evitados ao máximo, utilize sucos de frutas naturais, prepare as sopas com legumes frescos, utilize ingredientes saudáveis, evite ao máximo o açúcar e o sal na dieta da criança, o melhor mesmo seria abolir esses ingredientes. Substitua o sal por ervas como salsinha, orégano, tomilho, alecrim, entre outros, o açúcar pode ser substituído por mel natural, claro que em pequenas quantidades também.

Estimule a mastigação da criança, além dos sucos e papinhas, introduza alimentos em pequenos pedaços, frutas em sua forma natural devem ser oferecidas, em um dia a maçã, no outro uma porção pequena de mamão etc. 

A alimentação é uma necessidade humana, se alimentar bem é importante para a saúde e se a criança não deseja determinado alimento, não faça jogos de compensação como: se comer te dou um doce. 

O mito de que grávidas devem comer por dois já foi desfeito há algum tempo, o que está em jogo é a qualidade da alimentação e não a quantidade e, diversas pesquisas já foram realizadas e constataram que mulheres que ganham mais peso do que o necessário durante a gravidez podem gerar filhos com tendência à obesidade.

Cuide dos hábitos alimentares do seu filho desde muito cedo.

 

Daiana Barasa