Convênio financiará pesquisas farmacêuticas em universidades


Objetivo é incentivar a pesquisa científica e o desenvolvimento de medicamentos inovadores

A Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e o laboratório farmacêutico Biolab fecharam uma parceria para financiar pesquisas farmacêuticas em universidades. É a primeira vez que a Fundação paulista lança chamada pública para pesquisas em parceria com uma indústria farmacêutica na área de saúde humana. A meta é gerar resultados que possam ser aplicados no desenvolvimento de medicamentos inovadores e incentivar a pesquisa científica brasileira. Como se sabe, a contribuição do poder público para pesquisas nesse setor é de fundamental importância.

Até 10 de junho, pesquisadores do Estado de São Paulo poderão apresentar projetos com potencial para aumentar o conhecimento aplicável na prevenção e no tratamento de doenças crônicas ou degenerativas de alta incidência. Serão apoiadas  pesquisas em oncologia, doenças degenerativas e do sistema nervoso central, disfunções hormonais, diabetes e enfermidades causadas por bactérias, protozoários, fungos ou vírus. Também poderão ser financiadas pesquisas sobre distúrbios cardiovasculares, processos inflamatórios envolvidos em diferentes patologias, princípios ativos moduladores da pigmentação da pele e distúrbios gastrointestinais.

Os projetos deverão propor a investigação sobre ensaios de eficácia e caracterização farmacodinâmica, determinação do mecanismo de ação, caracterização de ingredientes ativos e desenvolvimento de métodos analíticos de fármacos. A escolha das propostas levará em consideração critérios como originalidade, ousadia, qualidade, viabilidade e potencial para ampla disseminação e uso da inovação.

Fapesp e Biolab investirão até R$ 5 milhões, divididos entre as partes, para apoiar as propostas escolhidas. A Fapesp está disposta a desembolsar até R$ 40 milhões em 2011, mediante contrapartida do mesmo valor por parte das empresas, que estão cada vez mais atentas à capacidade de gerar inovação. O fechamento de mais parcerias como essa, entre o poder público e a iniciativa privada, poderão melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas.

Fonte: Agência Comunicado