Consumo de alimentos industrializados, aumentam os riscos de asma, rinite e eczema em crianças


A preferência pelos fast food’s não só aumentam os riscos de obesidade em crianças e adolescentes, como também agravam as reações alérgicas.

 
De acordo com uma pesquisa realizada na Universidade de Auckland, Nova Zelandia, jovens que consomem fast food ao menos três vezes por semana, tem maiores riscos de desenvolver quadros graves de asma, eczema (irritação ou inflamação da pele) e rinite. 
 
O hábito de crianças e jovens se alimentarem com frequência em fast food’s, não só aumenta o risco de obesidade, como aumenta o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e ainda agrava as reações alérgicas. 
 
A pesquisa contou com a avaliação de aproximadamente 320.000 jovens de 13 a 14 anos e 181.000 crianças de seis a sete anos de idade. As análises foram realizadas a partir dos relatos, que os pais apresentaram dos seus filhos, respondendo a questões como: “qual a frequência de episódios de sintomas de asma, rinite, conjuntivite ou eczema” e “quais os hábitos alimentares das crianças e dos adolescentes durante o período estudado?”. 
 
Por meio das análises dos dados, os pesquisadores notaram que independente das faixas etárias dos voluntários, o consumo de fast food foi o único que se relacionou a maior gravidade e incidências de sintomas de asma, rinite e eczema (que também podem ser tratados com o medicamento Dexametasona). 
 
O consumo de fast food ao menos três vezes na semana, em comparação com os voluntários que dificilmente consumiam, aumentou em 39% o risco de adolescentes apresentarem um quadro de reação alérgica.
 
Outro fator analisado no estudo, chamou atenção aos efeitos benéficos no consumo de frutas. Segundo os dados da pesquisa, comer três ou mais porções de frutas por semana, reduz em 11% a 14% a gravidade dos sintomas de reações alérgicas, em adolescentes e crianças.
 
Especialistas acreditam que esse efeito negativo do consumo de fast food’s, se deve ao fato de este tipo de alimento, ser rico em gorduras saturadas, o que de certa forma, prejudica o sistema imunológico, deixando-o vulnerável as reações alérgicas. 
 
Os médicos recomendam, para prevenir as crianças e adolescentes das crises de reações alérgicas, é necessário adotar hábitos alimentares saudáveis, assim como, tomar as precauções adequadas em cada ambiente.