Conheça mais sobre o herpes


Conheça os diferentes tipos e saiba como se prevenir

 

No verão, é comum haver um aumento nos casos de herpes simples. Caracterizada como uma infecção viral e contagiosa, ela afeta os lábios e, em alguns casos, outras regiões do corpo como olhos, couro cabeludo e genitália. Em estágios mais avançados, pode afetar órgãos internos. 
 
Herpes simples 1 (oral): a transmissão geralmente acontece quando as lesões estão mais acentuadas e ativas. Neste caso, é preciso redobrar a atenção quanto à exposição solar (contraindicada), e manter a região hidratada com protetor labial. As lesões aparecem em momentos de baixa imunitária e os principais sintomas são bolhas, dores e vermelhidão. Todos podem ser tratados com medicação oral ou com o uso de pomadas, a critério médico. Vale lembrar que, em se tratando de uma infecção viral e contagiosa, é importante evitar o contato direto com a pessoa infectada e não compartilhar talheres, copos e batons. 
 
Herpes simples tipo 2 (genital): seu contágio se dá por meio do contato com a pele e dos fluidos da região genital infectada. Tais características a tornam uma DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).  As lesões provocadas na região genital podem começar como pequenas vesículas (bolinhas) e evoluir para úlceras (furinhos), que em boa parte dos casos, são bastante dolorosas. Também pode ser assintomática. O tratamento engloba com medicamentos de uso oral e local e a forma de prevenção é o uso do preservativo em todas as relações sexuais. 
 
Herpes Zoster: é uma virose rara causada pelo mesmo vírus da varicela (catapora) e é considerado o tipo mais grave da doença. Geralmente atinge pessoas com baixa imunológica, tais como idosos, pessoas traumatizadas por estresse ou pacientes soropositivos. As lesões do herpes zoster são parecidas com as do tipo 1, porém em maior extensão.  A forma de contágio é por meio do contato direto com as regiões infectadas ou lesões. Há o risco de atingir os órgãos internos e gerar problemas graves, como encefalite, pneumonia ou até mesmo inflamação no sistema nervoso. 
 
Nenhum dos tipos possuem cura definitiva, mas todos contam com tratamento medicamentoso. 
 
Por: AgComunicado