Confira as diferenças entre medicamentos genéricos e similares


Saiba o que é um teste de bioequivalência

Os laboratórios farmacêuticos investem muitos anos em pesquisas para o desenvolvimento de novos  medicamentos. São os chamados medicamentos de referência ou de marca: produtos inovadores, cuja eficácia, qualidade e segurança foram comprovadas cientificamente por ocasião do registro. O laboratório que lança um novo remédio tem exclusividade sobre sua comercialização durante o período em que durar a patente. Com a expiração da patente, outras indústrias concorrentes podem produzir o medicamento em sua forma genérica.

O medicamento genérico é idêntico ao de marca. Isso significa que ele pode ser trocado por aquele já que tem, a rigor, as mesmas características e efeitos sobre o corpo do paciente. Ele contêm o mesmo princípio ativo do medicamento de referência, assim como a mesma dosagem e formulação, e é indicado para tratar as mesmas patologias. Sua administração ocorre mesma via do medicamento de marca. Para assegurar todos esses fatores, os medicamentos genéricos passam obrigatoriamente por testes de bioequivalência. Até a forma e a velocidade de absorção do genérico pelo organismo precisam ser idênticos ao de marca. Os genéricos podem substituir os medicamentos de marca a critério médico.

Uma grande vantagem do medicamento genérico é seu custo, bem menor do que o remédio de marca. Isso ocorre porque, com o genérico, não há necessidade de fazer o marketing do produto, uma vez que não há marca há ser divulgada.

O medicamento similares contém o mesmo princípio ativo, concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação do medicamento de referência, mas não são bio equivalentes. Apesar de terem sua qualidade garantida, eles não passam por análises que atestem os efeitos no paciente, e não se sabe se eles são iguais aos dos medicamentos de referência em sua absorção pelo organismo.

Por: AgComunicado