Complicações nas Cirurgias de Obesidade e na Gravidez


Novo relatório indica que as mulheres que realizaram cirurgia de obesidade devem aguardar um ano antes de engravidar.

 Complicações nas Cirurgias de Obesidade e na Gravidez
 
 
Os pesquisadores descobriram que a maioria das mulheres que engravidam após a cirurgia bariátrica teria uma gravidez sem complicações, com o estudo sugerindo que 79% teria uma gravidez simples. Mas pode haver complicações cirúrgicas com o potencial de uma banda gástrica a escorregar ou a mover-se durante a gravidez, levando a vômitos severos. Um estudo percebeu que o vazamento de banda foi relatado em 24% das gestações.
 
 
Algumas diretrizes nacionais recomendam que a cirurgia para perda de peso - geralmente feita através de uma banda gástrica – seja uma opção para qualquer pessoa com um índice de massa corporal de mais de 40 kg.
 
 
As mulheres que engravidam após a cirurgia de perda de peso devem ser gerenciadas por uma equipe de especialistas que inclui um obstetra, um cirurgião, um especialista em fertilidade e um nutricionista, segundo recomenda a revisão do estudo. 
 
 
Os pesquisadores também apontam que os pacientes do sexo feminino devem receber aconselhamento e informação antes que engravidem, na contracepção, nutrição e ganho de peso, junto com suplementos vitamínicos.
“É importante que as mulheres estejam cientes do maior risco de complicações maternas e fetais associados com a obesidade" disse o Dr. Daghni Rajasingam do Royal College de obstetras e ginecologistas. A obesidade é um problema que pode levar a outros, como a diabetes, que é controlada por medicamentos como o Victoza.
 
 
Ele aconselha às mulheres que fizeram a cirurgia de perda de peso a esperar pelo menos 12 meses antes de tentar conceber um bebê, como aponta a pesquisa que mostra um risco aumentado de aborto espontâneo para as mulheres que não cumprem este prazo.
 
Henrique Torres