Como se livrar das manchas e acne durante a gestação?


Confira quais são os ácidos liberados durante a gestação para o tratamento estético

A acne durante a gravidez é um incômodo bastante recorrente. Enquanto algumas mulheres apresentam melhora na pele durante a gestação, outras podem ser acometidas pela acne, por conta das transformações hormonais e o aumento do estrogênio, progesterona, beta HCG, entre outros. Fatores emocionais e psicológicos também são mudanças que ocorrem na saúde da mulher durante a gestação, além das alterações fisiológicas que trazem mudanças estéticas durante o período.

De acordo com o ginecologista, Dr. Domingos Mantelli, há uma série de procedimentos estéticos disponíveis para tratar a pele durante a gravidez. “Nesse caso é ideal que o tratamento seja realizado sob supervisão de um dermatologista que acompanhe a gestação juntamente com o obstetra”, indica. Leia também: Como reduzir a oleosidade da pele?

Quais são os medicamentos indicados para tratar a acne na gestação?

A Academia Americana de Dermatologia aponta a categoria listada pela Food and Drug Administration (FDA) que certifica a segurança das substâncias para aplicação em gestantes visando tratar a acne. Esses medicamentos foram avaliados pelo órgão e não apresentam riscos ao feto de acordo com os testes. 

Para o uso tópico o órgão libera o ácido glicólico, ácido azeláico, clindamicina, eritromicina e o metronidazol. O ácido azeláico é o mais recomendado durante a gravidez, pois atua diretamente no tratamento em casos de excesso de pigmentação na pele, conhecido como melasma, manchas comuns que podem surgir na gestação. 

Problemas de pele são decorrentes de intoxicação, alerta pesquisadora

Em casos em que o uso tópico não apresente resultados as opções orais também podem ser recomendadas. A FDA avaliou alguns medicamentos orais que apresentam segurança para a gestante e o bebê, como a azitromicina, cefalexina e eritromicina. 

Algumas recomendações contribuem na prevenção da acne durante e após a gestação. Veja as dicas apontadas no portal da Sociedade Americana de Dermatologia:

-Em casos de mulheres que já possuem acne antes da gravidez e fazem o uso de algum medicamento, o ideal é prosseguir com o tratamento durante a gestação, pois há chances do quadro apresentar piora. Apenas certifique-se se o medicamento usado anteriormente pode ser indicado para gestantes. Consulte o especialista. 

-Lavar a pele com água morna ou fria e fazer o uso de produtos de limpeza suaves. Evite produtos que possuam grânulos (esfoliantes) para o uso diário, essas opções podem agravar as inflamações provocadas pela acne;

-O uso diário do protetor solar é imprescindível, pois atua na proteção da pele contra os raios UVA e UVB e protege contra alterações pigmentares que ocorrem durante a gravidez. Dê preferência aos bloqueadores físicos compostos por zinco ou titânio.

-Geralmente, os mesmos medicamentos liberados pelo médico durante a gravidez podem ser consumidos após a gestação.Tire suas dúvidas com um profissional pediatra sobre as substâncias liberadas durante a amamentação. 

A acne e problemas de pele durante na gravidez são implicações que fragilizam a autoestima da mulher, num momento de maior sensibilidade por conta de inúmeras transformações que ocorrem de forma física e psicológica. Contudo, o tratamento durante e pós-gestacional é importante e  pode ser realizado junto aos especialistas que acompanham a gestante, assim indicam  as melhores opções de medicamentos avaliando as necessidades individuais de cada paciente e contraindicações. 

O ginecologista ressalta que os hábitos da gestante, principalmente a alimentação podem sim repercutir na pele. “Após a gestação por conta da queda hormonal a tendência é que a acne desapareça”, acrescenta o médico. 

Dr Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra

Referências:

Academia Amaricana de Dermatologia: https://www.aad.org/media/news-releases/acne-can-put-a-damper-on-hopes-of-glowing-skin-during-pregnancy

Juliana Rodrigues