Como o Corpo Reage à Doença de Parkinson


Veja quais são os sinais da existência da doença de Parkinson.

Como o corpo mostra o Parkinson
 

É geralmente um tremor de repouso: máxima quando o membro está em repouso e desaparece com o movimento voluntário e sono. Ela afeta, em maior medida, a parte mais distal do membro e de início normalmente aparece em apenas um único braço ou perna, tornando-se mais tarde bilateral.

 

A frequência do tremor da DOENÇA DE PARKINSON é entre 4 e 6 hertz (ciclos por segundo). Uma característica do tremor é "pílula-rolando", um termo usado para descrever a tendência do dedo da mão para entrar em contato com o polegar e juntos realizar um movimento circular. O termo deriva da semelhança entre o movimento em pacientes da DOENÇA DE PARKINSON e a técnica farmacêutica anterior de manualmente fazer pílulas.

 

Bradicinesia (lentidão dos movimentos) é outra característica da DOENÇA DE PARKINSON e está associada com dificuldades ao longo de todo o curso do processo de circulação, desde o planejamento até a iniciação e, finalmente, a execução de um movimento. O desempenho de movimentos sequenciais e simultâneos é prejudicado. Bradicinesia é o sintoma mais incapacitante nos estágios iniciais da doença. As manifestações iniciais causam problemas ao executar tarefas diárias que exigem controle motor fino, como escrever, costurar ou se vestir. A avaliação clínica baseia-se em tarefas semelhantes, por exemplo, alternando movimentos entre ambas as mãos ou ambos os pés. Bradicinesia não é igual para todos os movimentos ou vezes. Ele é modificado pela atividade ou estado emocional do sujeito, a tal ponto que alguns pacientes mal são capazes de caminhar e ainda podem andar de bicicleta. Geralmente, os pacientes têm menos dificuldade quando algum tipo de sinalização externa é fornecido.

Henrique Torres