Como evitar os efeitos do tempo seco?


Rinite alérgica e asma são as doenças que mais assolam as pessoas nesse período.

 
Com o tempo seco, diversos problemas respiratórios são desencadeados e as pessoas que sofrem com rinites alérgicas, bronquite e asma, muitas vezes não sabem como proceder. Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 300 milhões de pessoa enfrentam problemas respiratórios. 
 
Essas doenças geralmente causam inflamações crônicas nas vias aéreas, resultando na obstrução nasal, coriza, espirros e muita coceira. Nos períodos de tempo seco, ao entrar em contato com a poluição e algumas mudanças de temperatura, essas doenças começam a manifestar os sintomas. 
 
Cada uma tem uma característica e uma maneira de se manifestar, a asma, no entanto, se não for controlada pode resultar na inflamação e obstrução dos brônquios. Especialistas orientam que se os sintomas começarem a surgir, os asmáticos devem recorrer rapidamente aos broncodilatadores, responsáveis por levar o remédio até as vias aéreas.
 
Em casos de rinite alérgica, o medicamento Dexametasona é muito recomendado para auxiliar no controle dos sintomas. Pois ao ser administrado durante as crises, Dexametasona age como anti-inflamatório, especialmente no tratamento intensivo à curto prazo.
   
Para reduzir os sintomas, pacientes que sofrem de asma ou rinite, devem evitar poeira, pelos, mofo, ácaros e pelos de animais. Uma boa limpeza, realizada regularmente nos ambientes mais frequentados, pode fazer uma grande diferença. 
 
Vale ressaltar que no frio, muitas pessoas confundem sintomas de gripes com os da rinite alérgica. Em ambos os casos, a pessoa espirra muito e geralmente fica com o nariz entupido ou escorrendo. Contudo, ao contrário da rinite, a gripe provoca tosse e febre. Outro fator que também podemos destacar, para distinguir gripe de rinite alérgica, é que a rinite causa coceira nos olhos e no céu da boca, ao contrário da gripe. 
 
 
Especialistas recomendam que se após duas semanas, os sintomas ainda persistirem, mesmo com a administração de medicamentos, como o Dexametasona, o paciente deve realizar uma consulta com um profissional.