Catarata: cirurgia cada vez mais rápida e com bons resultados


Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 45 milhões de pessoas no mundo são cegas

Do total revelado pela OMS, aproximadamente 40% deve-se à catarata, hoje tratável graças aos avanços da medicina. A catarata é definida como uma lesão ocular que compromete o cristalino (lente localizada atrás da íris cuja transparência permite a passagem dos raios de luz, que alcançam a retina e formam a imagem), tornando-o opaco e comprometendo a visão.

Como consequência, as pessoas com catarata não enxergam com nitidez. No início, a visão torna-se embaçada e as imagens nebulosas. À medida que a doença avança, a pessoa passa a enxergar somente vultos.

A catarata pode ser congênita (em geral, as mães tiveram rubéola ou toxoplasmose durante o primeiro trimestre de gravidez) ou adquirida, e aqui entra a idade, desenvolvendo-se em pessoas com mais de 50 anos. Doenças como o diabetes, o hipertireoidismo e problemas renais, o uso de certos medicamentos (esteroides), determinados colírios sem prescrição medica, substâncias tóxicas como a nicotina, radiações UV ou Raios X, inflamações intraoculares e traumas como socos ou batidas na região dos olhos e desnutrição estão entre os fatores de risco.

A evolução da catarata é lenta e pode se desenvolver primeiro em apenas um dos olhos. Aos poucos, o paciente vai se acostumando com a perda progressiva da visão. Por isso, devemos incluir no check-up anual uma ida ao oftalmologista para avaliar a quantas anda a nossa visão.

O único tratamento para catarata é a cirurgia, retirado-se o cristalino afetado e substituindo-o por uma lente artificial intraocular. Atualmente, a cirurgia é simples, rápida e a anestesia é local. O uso da técnica de facoemulsificação (um aparelho que tritura e aspira o cristalino) permite um corte menor e, assim, menos suturas. A recuperação é rápida, e os resultados, em geral, atendem as expectativas de pacientes e médicos.

Como qualquer outra cirurgia, a de catarata também exige atenção no pré e pós-operatório.

Por: AgComunicado