Canelite e sobrecarga no músculo tibial


Qual a diferença entre essas lesões e o que pode ser feito para solucionar estes males?

Qual a diferença entre essas lesões e o que pode ser feito para solucionar estes males?

Talvez você nunca tenha ouvido falar na canelite, mas o número de pessoas que apresenta o problema no Brasil só tem crescido, é uma lesão frequente na vida dos amantes da corrida. A canelite não pode ser associada a qualquer dor na canela, trata-se de uma inflamação em uma região óssea conhecida como periósteo, para facilitar a compreensão, trata-se de uma proteção que envolve o osso como uma capa. Essa inflamação costuma ocorrer quando no ato da corrida ocorrem alguns movimentos comuns, mas que quando repetidos com frequência levam à canelite. 
 
Ao correr, o atleta realiza movimentos abruptos, o tornozelo é forçado, o arco do pé é constantemente submetido à movimentos rápidos, e quando rapidamente é aplainado sobre o solo força a contração do músculo da panturrilha.
 
A dor da canelite costuma ser mais intensa na parte interna da perna, onde há pouca massa muscular, faça um teste: pressione a parte interna na sua perna e poderá sentir os ossos. Quando o atleta corre, a dor ocorre de maneira mais intensa a cada momento em que seus pés tocam o solo.
 
É comum que muitas pessoas reclamem de dor na lateral da canela, mas que não pode ser classificada como canelite, trata-se de uma sobrecarga sobre o músculo tibial anterior. Esse músculo é responsável pelo levantamento do pé no momento da corrida, quando a dor acomete este músculo, é sinal de que está gerando força além do que pode aguentar. 
 
O tratamento deste tipo de problema requer análises minuciosas, a indicação inicial pode ser a realização de um trabalho de fortalecimento, mas isso poderia apenas tratar os sintomas mais desconfortáveis a curto prazo, por isso é fundamental que exames mais aprofundados sejam realizados.
 
A sobrecarga do músculo tibial e a canelite são problemas que podem acometer atletas, mas devem ser compreendidos como problemas distintos.
 
Na maioria dos casos é fundamental que haja uma reeducação postural com o intuito de minimizar o impacto e trazer melhoria para o atleta que sofre de alguma dessas lesões.
 
Em casos de canelite ou sobrecarga sobre o músculo tibial, há algumas recomendações que podem ser seguidas:
 
  • Aumentar o tempo de treino de maneira brusca ou pior, treinar sem a devida orientação profissional pode expor o atleta a desenvolver alguns dos problemas;
  • Se a prática da corrida é recente é fundamental que seja um processo orientado e supervisionado por um educador físico qualificado;
  • A região em que se deseja praticar a corrida deve ser verificada, em muitos casos, o mais indicado é a corrida sobre a grama, que por ser macia diminui o impacto no momento da corrida e possíveis inflamações no músculo tibial;
  • A postura é importante no momento da corrida;
  • O uso de tênis adequado é fundamental para diminuir os impactos sobre os músculos.
Após o diagnóstico da lesão, podem ser indicadas sessões de fisioterapia e é importante que o atleta siga as recomendações necessárias para retornar às atividades sem dores e grandes impactos. 
 
Daiana Barasa