Câncer de Pâncreas: diagnóstico difícil e ausência de sintomas dificultam cura


Pessoas que sofrem de pancreatite crônica ou diabetes têm maior predisposição para a doença

O câncer de pâncreas - que levou Steve Jobs, criador e fundador da Apple, a travar uma batalha durante anos contra a doença - é agressivo e de difícil diagnóstico.  Como no caso de Jobs, pode surgir a partir dos 50 anos de idade, mas se desenvolve principalmente entre os 65 e 80 anos. Homens são as principais vitimas. É uma doença que, quando descoberta, costuma estar em fase avançada.

O tipo mais comum deste câncer é o adenocarcinoma, em 90% dos casos, e se origina no tecido glandular.  No Brasil, o câncer de pâncreas representa 2% de todos os tipos de câncer, e é responsável por 4% do total de mortes causadas pelo câncer.
 
Glândula do aparelho digestivo, o pâncreas está localizado na região superior do abdome, atrás do estômago. Extremamente importante, produz as enzimas que ajudam na digestão dos alimentos e o hormônio insulina, responsável em regular o nível de glicose (açúcar) no sangue. Entre os fatores de risco estão:

• Fumo;
• Consumo de gordura em excesso, carnes e bebidas alcoólicas;
• Exposição, durante muito tempo, a compostos químicos (solventes e petróleo);
• Pancreatite crônica ou diabetes melitus;
• Cirurgias de úlcera no estômago ou duodeno;
• Ausência da vesícula biliar.

Tais como outros tipos de câncer, evitar o fumo e bebida alcoólica em excesso são medidas preventivas, assim como adotar hábitos alimentares saudáveis. Se há histórico familiar de câncer, ou a presença das doenças e cirurgias citadas acima, outra razão para visitar o médico e realizar exames clínicos com periodicidade.

O câncer de pâncreas não dá sinais. É uma doença silenciosa. Os sintomas se assemelham aos de outras doenças, como perda de apetite e peso, fraqueza, diarreia e tontura, o que dificulta ainda mais o diagnóstico. A icterícia é um sintoma importante, causada pela obstrução biliar, que e deixa a pele e os olhos amarelados. Em fase avançada, a dor é o principal sinal, e se localiza nas costas. Outro sintoma do tumor é o aumento do nível da glicose no sangue, causado pela deficiência na produção de insulina.

Existe a possibilidade de cura se a doença for detectada no início. Conforme o caso, o médico pode recorrer à cirurgia, sendo a resseção o tratamento mais indicado. A radioterapia e a quimioterapia, associadas ou não, também podem ser utilizadas para combater o tumor.

Por: AgComunicado